"Alguém para Amar", de Jude Deveraux

"Jace Montgomery é um homem só. Passaram-se três anos, mas não conseguiu ainda ultrapassar o misterioso suicídio da sua noiva Stacy. Não voltou a interessar-se por outra mulher desde então e a família continua a culpá-lo pela sua morte. Ao folhear um dos antigos romances de Stacy, Jace descobre uma fotografia de uma casa com uma mensagem codificada. «Nossa, mais uma vez. Juntos para sempre. Até lá». O bilhete datava do dia anterior à morte dela. Obcecado pela necessidade de entender o suicídio de Stacy, Jace procura a propriedade - Priory House, uma enorme fortaleza de tijolo em Margate, Inglaterra - e compra-a. Jace parte para Inglaterra determinado em descobrir finalmente a verdade. Não demora a perceber que a casa está assombrada por um obstinado fantasma, Ann Stuart, com quem se vê obrigado a lidar para resolver o mistério. Ann morreu em circunstâncias idênticas às da sua falecida noiva e ele tem um palpite de que existe uma relação entre ambas. Através das suas investigações e com a ajuda de uma bela jornalista, Jace vê-se forçado a estabelecer a conciliação entre a vida e a morte da noiva.Alguém para amar é uma bela descoberta sobre o tempo e o amor da autoria de uma das romancistas mais acarinhadas pelos leitores de todo o mundo. "

A Minha Opinião:
Adorei!
Este é um daqueles livros "levezinhos" que nos prende do principio ao fim, mas sem grandes ansiedades de chegar ao final!
Algumas das situações por que passaram Juce e Nigth são simplesmente hilariantes, sobretudo com os fantasmas!
Confesso que esperava um pouco mais do final, pelo menos em relação à parte dos suicidios, porque em relação ao desfecho para os fantasmas, esse foi um final que achei muito bonito!
Uma autora que vou manter debaixo de olho!

(Bem haja Minha Querida Amiga Fern2005!)

"As Regras da Sedução", de Madeline Hunter

"As regras dele vão iniciá-la no mundo do prazer e da sensualidade. As regras dela vão subjugá-lo. Hayden chega sem aviso e sem ser convidado – um estranho com motivações secretas e um forte carisma. Em poucas horas, Alexia Welbourne vê a sua vida mudar irremediavelmente. A relação entre ambos é tensa, agitada e incómoda. Para Alexia, Hayden é o culpado da sua desventura: sem dote, ela perdeu qualquer esperança de algum dia se casar. Mas tudo muda quando Hayden lhe rouba a inocência num acto impulsivo de paixão. As regras da sociedade obrigam-na a casar com o homem que arruinou a sua família. O que ela desconhece é que o seu autoritário e sensual marido é movido por uma intenção oculta e carrega consigo uma pesada dívida de honra. Para a poder pagar, ele arriscará tudo... excepto a mulher, que começa a jogar segundo as suas próprias regras…"

A Minha Opinião:
Foi dificil entrar na história!
Comecei por achar o inicio um pouco chato e que provavelmente o desenrolar da história e o final eram bem previsisveis... enganei-me!
Depois de avançar mais um pouco apercebi-me que o enredo estava a ficar cada vez mais misteriosos e que as surpresas iam aparecer em breve!
Alexia e Hayden viveram os seu Amor em pleno ao mesmo tempo que resolveram os grandes mistérios do seu passado.
Gostei!

Obrigado por mais este empréstimo Semidio! Bjocas :)***

Saga da Luz e da Escuridão, de Stepanie Meyer

"A respeito de três aspectos, eu estava absolutamente segura. Em primeiro lugar, Edward era um vampiro. Em segundo lugar, uma parte dele - e eu não sabia qual era o poder dessa parte - ansiava pelo meu sangue. Por fim, em terceiro lugar, eu estava incondicional e irrevogavelmente apaixonada por ele."

A Minhã Opinião:
Terminei hoje o ultimo volume da Saga da Lus e Escuridão.
Confesso que o li mais por curiosidade de saber o final do que própriamente por estar entusiasmada com a história.
Mas ainda bem que o li.
De toda a Saga este foi o mais emocionante.
Gostei muito do "Crepúsculo", quebrei um pouco o ritmo com o "Lua Nova" e fiquei bastante desiludida com o "Eclipse", mas esta última parte da história fez com que valesse bem a pena o tempo que dispensei a ler os outros.
Adorei o desenrolar de todos os acontecimentos, em particular a aproximação de Jacob com os Cullen e a forma como se uniram para proteger a pequena Nessie ;) Diverti-me imenso com os confrontos dele com Rosalie e claro, a ternura da Alice para com a Bella mais uma vez me emocionou.
Esta Saga da Luz e da Escurdão merece realmente ser lida!
Vamos ver agora como serão os filmes...

"Chocolate", de Joanne Harris

"A aldeia de Lansquenet-sur-Tannes tem duas novas moradores: Vianne Rocher, jovem mãe solteira, e a sua filha Anouk. Ambas correram mundo e querem agora estabelecer-se, pelo que Vianne pensa montar um negócio. Um negócio aromático e guloso mas, naquelas paragens, pouco comum: uma chocolataria com o nome de "La Céleste Praline".Para a aldeia, "La Céleste Praline" e a sua encantadora proprietária são um sopro de ar fresco frente à tirania de Francis Reynaud, um jovem padre de uma austeridade a raiar o fanatismo, que não oculta o seu desagrado por um comércio demasiado sofisticado e "tentador", e que vê em Vianne um desafio à sua autoridade. Frente a ele, a jovem Vianne só pode apelar à alegria de viver das gentes de Lansquenet...Chocolate é um repertório de sabores, descritos de uma maneira tão viva que quase se sentem; é também uma galeria de personagens ternos e cruéis, amáveis e odiosos, sempre intensos e credíveis."

A Minha Opinião:
Já vi o filme umas 2 ou 3 vezes, por isso estava um pouco receosa para o ler, mas ainda bem que o fiz.
Apesar de não conseguir separar as imagens do filme consegui perfeitamente envolver-me na história com a maravilhosa escrita da autora, achei incrivél a maneira como descreve os personagens.
Adorei!

"O Sorriso das Estrelas", de Nicholas Sparks

"Adrienne Willis é uma mulher forte e corajosa que conseguiu criar e educar os três filhos sozinha, depois de o marido a ter abandonado por uma mulher mais nova. Agora, passados mais de quinze anos, a sua filha Amanda precisa desesperadamente da sua ajuda: a morte do marido está a conduzila para o abismo. Neste momento, Adrienne resolve contar-lhe o seu mais profundo e íntimo segredo. Tudo acontecera há quatorze anos... três anos depois do divorcio, Adrienne, já com 45 anos ainda não conseguira reconstruir a sua vida. Até que, durante um fim de semana, parte para Rodanthe a fim de tomar conta da estalagem de uma amiga enquanto esta estivesse fora. Uma forte tempestade aproxima-se e Adrienne recebe o último hóspede para o fim de semana: Paul Flanner, um prestigiado médico de 54 anos cheio de dúvidas e problemas de consiencia. E é então que qdo menos se espera nasce um amor que irá para sempre mudar as suas vidas..."

A Minha Opinião:
Com a chegada do filme aos cinemas resolvi ir reler este livro.
Uma história de amor muito bonita que nos mostra que sempre há hipoteses, mesmo quando nos parece que tudo é impossivel, mas mais que tudo faz-nos ver que é muito importante dar-mos valor aquilo que já passou, independentemente da forma adrupta como as coisas por vezes terminam.
Vamos ver o que acho do filme ;)

"A Gárgula" de Andrew Davidson

"O belo narrador de A GÁRGULA, conduz numa estrada sinuosa quando se despenha numa ravina e acorda numa unidade de queimados. É agora um monstro. A sua vida acabou.Mas está apenas a começar: um dia, uma encantadora e indomável escultora de gárgulas, entra no seu quarto e revela-lhe que foram amantes na Alemanha medieval. À medida que se desenrola a sua história, qual Scherazade, e relata outras histórias igualmente fantásticas de amor imortal no Japão, Islândia, Itália e Inglaterra, o narrador é devolvido à vida e, por fim, ao amor."

A Minha Opinião:
Este é um livro realmente estranho.
Quando iniciei a leitura fiquei com muita vontade de colocar o livro de lado, pois as primeiras páginas são realmente arrepiantes, mas ainda bem que não o fiz.
Ao longo da história, vão-nos sendo apresentadas muitas outras, com as mais variadas civilizações, mas sempre com contornos um pouco macabros... Atravessamos o verdadeiro "Inferno de Dante", passando por todas as suas fases.
Gostei, mas não foi nada daquilo que eu estava à espera!

(Bem haja Fbeatriz!)

"Flores na Tempestade" de Laura Kinsale

"Christian era um dos homens mais brilhantes e sedutores da alta sociedade inglesa. Um libertino que despertava paixões avassaladoras até que um trágico ataque o condena a um mundo de silêncio, sombras e loucura. Christian perde a capacidade de falar e a família coloca -o num sanatório , crente de que perdeu a razão. Maddy, de nascimento modesto e com um a alma simples e generosa , fica presa a este homem que lhe desperta sensações novas . Um homem que oscila entre a raiva e a frustração de estar preso ao silêncio, que a repele, mas que necessita da sua atenção e do seu carinho para o tirar daquele tormento solitário. A amizade que nasce entre os dois transforma-se num amor arrebatador. Fonte de necessidade , de desejo … e de uma paixão redentora. Laura Kinsale, autora best-seller norte-americana, traz-nos um dos romances de amor mais belos e originais de sempre. Uma história apaixonante e inesquecível que se converteu numa das novelas românticas mais elogiadas pela crítica e pelo público em todo o mundo."

A Minha Opinião:
Confesso que não estava à espera de me "embrenhar" tanto com este livro.
Uma história de Amizade muito bonita, que com tantos problemas para enfrentar acaba por se tornar num Amor capaz de vencer tudo e todos, desde as crenças e educação de uma vida, aos mais inesperados inimigos.
Dentro da literatura do género este é sem duvida o melhor livro que li até hoje, a história está muito bem estruturada e é-nos apresentada de forma calma, mas sempre com o cuidado de nos aguçar a curiosidade com algumas pistas deixadas subtilmente.
Deixo aqui uma pequena curiosidade acerca da personagem de Missmaddy ;)

Quaker é o nome dado a um membro de um grupo religioso de tradição protestante, chamado Sociedade Religiosa dos Amigos (Religious Society of Friends). Criada em 1652, pelo inglês George Fox, a Sociedade dos Amigos reagiu contra os abusos da Igreja Anglicana, colocando-se sob a inspiração directa do Espirito Santo. Os membros desta sociedade, ridicularizados com o nome de quakers, ou tremedores, rejeitam qualquer organização clerical, para viver no recolhimento, na pureza moral e na prática activa do pacifismo, da solidariedade e da filantropia.

(Mais uma vez tenho de agradecer à Querida Fbeatriz por mais este tesouro! Bem haja Amiga!)

"O Grande Conspirador", de David Liss

"Condeno-o à morte por enforcamento, Sr. Weaver, pelo hediondo assassinato que levou a cabo.” Ao ouvir a sentença do juiz, Benjamim Weaver, judeu português, antigo pugilista, actual caçador de criminosos e futuro mestre do disfarce, começa um dos dias mais infelizes da sua vida. Atirado para a terrível prisão londrina de Newgate, Weaver terá de empregar a sua considerável energia e inteligência para fugir para as ruas fedorentas da capital. Na sua mente, apenas um desejo: quem se deu a tanto trabalho para o incriminar por um assassinato que não cometeu? E as coisas só vão piorar, como revela David Liss em O Grande Conspirador, uma novela exuberante na Londres do século XVIII, repleta de acção, aventura, humor e uma teia de conspiração que envolve os mais poderosos do império britânico."

A Minha Opinião:
Muitissimo bom!!!
Neste livro o já conhecido Benjamim Weaver vê-se obrigado a ser ainda mais ardiloso nas suas investigações, já que desta vez é ele próprio quem está condenado à forca por assassinio.
Depois de escapar da prisão e esconder-se atrás de uma nova identidade vais passar por muito até perceber que era apenas um joguete no meio de conjuntura politica e religiosa da sociedade inglesa.
Não fiquei nem um pouco agradada foi com o desfecho dado a Miriam...
Pena é, que apesar do clima de romance, que o nosso heroi ficasse sozinho!
Quem sabe se não haverá mais um livro de memórias de Benjamim Weaver, Judeu Português, Antigo Pugilista, caçador de criminosos e mestre do disfarce ;)
De realçar mais uma vez a excelente pesquisa histórica do autor.


(Mais uma vez, bem haja kittycatss pelo empréstimo e desculpa o tempo que estiveram retidos comigo!)

"O Mercador Português", David Liss

"Depois do sucesso de A Conspiração de Papel, David Liss volta a recuar no tempo para um momento chave na História: a Amesterdão de 1659, capital do comércio europeu, onde a perfídia impera e até os melhores amigos têm segredos. Na primeira bolsa de valores do mundo, as fortunas são ganhas e perdidas num instante, e Miguel Lourenço, um judeu que fugiu de Lisboa devido à Inquisição, sabe-o melhor que ninguém. Outrora um dos comerciantes mais invejados da cidade, Miguel perdeu tudo numa súbita desvalorização do açúcar. Agora, empobrecido, humilhado e a viver da caridade de um irmão mesquinho, precisa urgentemente de encontrar uma forma de recuperar a fortuna e a reputação. E essa oportunidade aparece quando é contactado por uma misteriosa mulher que lhe propõe uma jogada ousada: o monopólio de um produto desconhecido e fascinante chamado café. Para ser bem sucedido, Miguel terá que arriscar tudo aquilo em que acredita e testar os seus próprios limites. Mas cedo se vai ver envolvido pelo caos dos mercados, pela ganância dos concorrentes, pelas intrigas de um inimigo poderoso... e pelos braços quentes e sedutores da esposa do seu irmão."

A Minha Opinião:
Gostei muito da história de Miguel Lourenço e da forma como se conseguiu desenvicilhar dos seus problemas num país para ele tão estranho.
Nota-se a grande pesquisa histórica do Autor sobre os mercados do café no Sec. XV, altura em que a Holanda dominava grande parte dos negocias da Europa.
Não apreciei muito a parte final, o desenlace de Miguel com a cunhada e a partida do seu irmão, mas mais que tudo a maneira como terminou a história para a Geertruid.
Uma coisa é certa, se tratassem agora dos problemas da Bolsa e dos negócios como faziam naquela época, de certeza que não haveria por aí tantas acusações de fraudes!

(Bigada Kittycatss!)

"A Conspiração do Papel", de David Liss

"Benjamin Weaver, judeu português, detective, espadachim e um famoso ex-boxeur, move-se com maestria e confiança na Londres do século XVIII. Trabalhando para clientes aristocratas na cobrança de dívidas difíceis, vive afastado da família devido à má relação com o seu pai, um abastado investidor da bolsa. Mas quando este é brutalmente assassinado, não pode ficar de braços cruzados.Descendo ao submundo do crime londrino, Weaver ziguezagueia entre bordéis, cervejarias, prisões e casas de jogo, para descobrir uma conspiração que o ameaça não só a si, mas também à própria Inglaterra.Um romance histórico fascinante, A Conspiração de Papel arrebata os leitores, página atrás de página, com um enredo envolvente e personagens apaixonantes de um período único da história."

A Minha Opinião:

Já li este livro há bastante tempo, mas como li agora mais dois que são do mesmo autor e um deles com o mesmo personagem resolvi colocar também aqui!
Gostei bastante! O Autor retrata muito bem a vida e costumes do Sec: XVIII em Inglaterra, achei engraçado os detalhes que ele refere dos vestuário e adereços, mesmo os utilizados pelos homens, como aquelas perucas ridiculas que se usavam na altura.
Ao avançarmos na leitura vamos ficando cada vez mais apegados a Benjamim Weaver mesmo que por vezes questionemos os seus métodos de investigação e de solucionar os problemas.
A trama da história está muito bem urdida e nada faz adivinhar o final e muito menos o entreleçamento de todos os crimes num só!
Um Romance histórico muito bem concebido, e nada enfadonho, pois tem partes bem divertidas...


(Bem Haja Kittycatss!!!)

"O Rio Sabe", de Amanda Quick

"O primeiro beijo de Louisa Bryce e Anthony Stalbridge nada teve de romântico: foi uma manobra de diversão para não serem apanhados onde não deveriam estar. E o que os une não tem nada a ver com paixão ou romance. Ambos pretendem desmascarar Hastings, um eminente aristocrata. Louise acredita que Hastings tem ligações a um conhecido bordel, enquanto Anthony desconfia que o nobre esteve envolvido na morte da sua noiva, que morreu afogada no Tamisa. Mas fazer Hastings pagar pelos seus crimes poderá ser mais difícil e perigoso do que ambos pensavam..."



A Minha Opinião:
Este foi o 2º livro que li desta autora!
O primeiro que li foi "Amor Comprado", este "O Rio Sabe" é muitissimo melhor!
As aventuras por que passam Louisa e Anthony e os seus diálogos são muito divertidas!
Claro que tem aquelas passagens mais picantes, as quais eu acho que por vezes não precisavam de ser tão explicitas, mas enfim...
Uma excelente autora para quando se que descansar um pouco de leituras mais "pesadas"!

(Muito obrigado Amiga Fbeatriz por mais este empréstimo!)

"O Homem Duplicado", de José Saramago

"Tertuliano Máximo Afonso, professor de História no ensino secundário, «vive só e aborrece-se», «esteve casado e não se lembra do que o levou ao matrimónio, divorciou-se e agora não quer nem lembrar-se dos motivos por que se separou», à cadeira de História «vê-a ele desde há muito tempo como uma fadiga sem sentido e um começo sem fim».Uma noite, em casa, ao rever um filme na televisão, «levantou-se da cadeira, ajoelhou-se diante do televisor, a cara tão perto do ecrã quanto lhe permitia a visão, Sou eu, disse, e outra vez sentiu que se lhe eriçavam os pêlos do corpo»...Depois desta inesperada descoberta, de um homem exactamente igual a si, Tertuliano Máximo Afonso, o que vive só e se aborrece, parte à descoberta desse outro homem. A empolgante história dessa busca, as surpreendentes circunstâncias do encontro, o seu dramático desfecho, constituem o corpo deste romance de José Saramago."



A Minha Opinião:

Há já muito tempo que queria ler alguma das obras de Saramago e enfim lá consegui!
Não foi fácil, iniciei a leitura várias vezes até conseguir entrar na história, mas depois de me habituar ao discurso a leitura correu melhor.
Fez-me um pouco de confusão a pontuação e a forma de escrever do autor!
A história em si posso dizer que gostei, a procura de Tertuliano Máximo Afonso pela sua personalidade foi uma aventura e tanto, apesar de às vezes se tornar um pouco aborrecido...
Vou tentar ler alguma das suas outras obras para tirar teimas, pois já me constou que este não é o melhor livro de Saramago para nos iniciarmos na sua obra!
Voltanto à sua escrito, foi bem dificil ver aquelas páginas cheias de uma ponta à outra, com o testo completamente justificado, com as márgens todas certinhas e sem sequer um travessãozito para animar a página!

(Bem haja Vibarao por este Bookring!)

"A Casa na Praia", de Anita Shreve

"Quando casou, Sydney estava perdidamente apaixonada pelo marido Andrew, um piloto de aviões carismático e aventureiro. Mas o medo de o perder num acidente de aviação quase a leva à loucura, deixando-lhe apenas uma alternativa: o divórcio. Quando voltou a casar, Sydney acreditou que nada tinha a temer, afinal Daniel era um jovem e pacato médico. Mas o destino prega-lhe uma partida, e o seu segundo marido morre subitamente no hospital onde trabalha. Desencantada e sem rumo, a jovem viúva aceita um emprego de Verão na magnífica costa do New Hampshire. O que ela não podia imaginar era que o amor ainda lhe reservava grandes surpresas."

A Minha Opinião:
Gostei!
Uma história sem grandes relevos, mas a forma de a autora a escrever fez com que valesse a pena.
Ela faz descrições das mais pequenas coisas de um forma melancólica que nos envolve de uma forma reconfortante, fazendo com que não tenhamos qualquer vontade de abandonar o livro, pois é como se a sua escrita nos transmitisse paz... é estranho, mas foi assim que senti.
Achei engraçada a forma como ela encaixou as familas das suas outras histórias tentando mostrar que "A Casa na Praia" é um lugar onde muita coisa aconteceu já, mas também onde sempre se pode encontrar a esperança para recomeçar de novo.
Com tinha ficado um pouco desiludida com o "Tudo o que Ele sempre quis" e o "Casamento em Dezembro" este livro veio trazer-me um pouco mais de confiança na autora.
(Obrigado Aviciada pela oportunidade!)

"Tim", de Colleen McCullough

"Mary Horton, solteirona na casa dos quarenta, rica, solitária, simples, acredita que não precisa de amor nem de amizade, satisfazendo-se com a sua confortável casa, o seu jardim, o seu Bentley e a casa de praia que comprou com o fruto do seu trabalho e dos investimentos realizados, com os livros que lê e a música que ouve sozinha.Tim Melville, vinte e cinco anos, operário, é filho de Ron e Esme Melville que o receberam como uma dádiva para o seu tardio casamento. Tim tem a beleza e a graça de um deus grego, mas é um simples de espírito, uma criança grande.No entanto, Ron e Esme, modestos operários australianos, pessoas sensatas e sem ambições, gostam dele pelo que é e preparam-no para trabalhar segundo as suas possibilidades. Tim é um trabalhador insignificante de uma empresa de construção civil, infatigável e esforçado. Dias de trabalho pesado e fins-de-semana passados com o pai num pub e noites tranquilas junto da família, a ver televisão, representavam para Tim toda a sua perspectiva de vida. Quando Mary encontra Tim e o contrata como jardineiro durante os fins-de-semana, uma ligação muito forte vai nascer entre eles. Mary sente por Tim o mesmo tipo de amor que sentiria pelo filho que nunca teve; Tim, em contrapartida ensina-lhe a ver o mundo de uma maneira mais simples e optimista, trazendo à sua vida solitária o calor e o afecto que lhe faltavam.
Tim, o primeiro romance de Colleen McCullough, tem já de Pássaros Feridos e Uma Obsessão Indecente que se lhe seguiram, a sensibilidade e a segurança das personagens e a mestria inconfundível de uma história bem contada."

A Minha Opinião:
Uma história belissima sobre o Amor e as diferenças humanas, que nos mostra que em conjunto tudo se completa.
Tim e Mary viviam cada um a sua vida de forma estranha, mas ao juntarem as suas diferenças completaram a sua existencia podendo assim viver de uma forma o mais "normal" possivél.
Desta história retiramos que devemos aprender a viver com as diferenças dos outros e assim podermos ver as nossas próprias "diferenças", porque todos nós as temos.
(Muito obrigado Ligiafteixeira por mais este maravilhoso livro!)

"O Segredo da Casa de Riverton", de Kate Morton

"Como sobrevivem os que presenciam a tragédia?
Verão de 1924
Na noite de um glamoroso evento social, um jovem poeta perde a vida junto ao lago de uma grande casa de campo inglesa. Depois desse trágico acontecimento, as suas únicas testemunhas, as irmãs Hannah e Emmeline Hartford, jamais se voltariam a falar.Inverno de 1999Grace Bradley, de noventa e oito anos de idade, antiga empregada da casa de Riverton, recebe a visita de uma jovem realizadora que pretende fazer um filme sobre a morte trágica do poeta.Memórias antigas e fantasmas adormecidos, há muito remetidos para o esquecimento, começam a ser reavivados. Um segredo chocante ameaça ser revelado, algo que o tempo parece ter apagado mas que Grace tem bem presente.Passado numa Inglaterra destroçada pela primeira guerra e rendida aos loucos anos 20, O Segredo da Casa de Riverton é um romance misterioso e uma emocionante história de amor."

A Minha Opinião:
Adorei!!!
Uma história contada na 1ª pessoa, com todas as alegrias e tristezas de uma vida longa e por vezes bem dolorida, salientando as escolhas nem sempre boas tendo em conta o sentido de dever para com a familia e os segredos dos outros.
Por vezes existem Jogos, que não se devem jogar até o fim ;)
(Bem Haja Fern2005 ;) espero que gostes também!)

"A Varanda das Gardénias", Sandra Sabanero

"A história de um amor intemporal entre uma mexicana e um norte-americano… Um retrato cru e verdadeiro do México contemporâneo… Durante dezasseis anos, a vida da família Domínguez decorre feliz e sem sobressaltos. No entanto, esta tranquilidade quebra-se quando o pai, Juan, é injustamente acusado de um duplo crime e morre. A família dissolve-se: Ezequiel, o filho, vai-se embora de Mescala, a pequena vila onde vivem, perseguido por um perigo desconhecido. A filha Rebeca muda-se para Lugarana, onde fica a viver com uma tia. É aí que conhece Patrick Pettegrew. Para ambos é o primeiro e, simultaneamente, o grande amor das suas vidas. A veracidade dos seus sentimentos esbarra na rigidez dos preconceitos culturais e o casal acaba por separar-se devido a intrigas familiares. Quinze anos mais tarde, quando Rebeca, já convertida em advogada, está prestes a casar-se, Patrick regressa ao México após uma estadia no Vietname e três casamentos fracassados. Os dois voltam a encontra-se e o amor da juventude renasce com a mesma força do passado. Mas antes, Rebeca deve romper o seu compromisso sentimental e desmascarar os autores da tragédia da sua família. Em A Varanda das Gardénias, a autora utiliza o realismo mágico para contar uma sensual história de amor e, ao mesmo tempo, fazer uma crítica à sociedade mexicana, onde ainda subsistem vários preconceitos."

A Minha Opinião:
Esperava mais deste livro.
Uma bela história e amor com os habituais percalços: disputas familiares e diferenças sociais...
O discurso é por vezes confuso fazendo com com que perca a noção da altura dos acontecimentos que se sucedem de forma muitissimo "atabalhoada" (bela palavra!!!)
De resto, valeu a pena pelas Gardénias.

"Em Troca de um Coração", de Jodi Picoult

"Aceitava realizar o último desejo de um condenado para salvar a vida de um filho? Com uma sensibilidade literária invulgar, Jodi Picoult conduz uma vez mais o leitor a uma encruzilhada moral. Como é que uma mãe concilia a trágica perda de um filho com a oportunidade de salvar a alma de um homem que odeia?
Shay foi condenado à morte por matar a pequena Elizabeth Nealon e o padrasto. Onze anos mais tarde, a irmã de Elizabeth, Claire, precisa de um transplante de coração e Shay, que vai ser executado, oferece-se como dador. Este último desejo do condenado complica o plano de execução, pois uma injecção letal inutilizaria o órgão. Entretanto, a mãe da criança moribunda debate-se com a questão de pôr de parte o ódio para aceitar o coração do homem que matou a sua filha. Picoult hipnotiza o leitor com uma história de redenção, justiça, e amor."



A Minha Opinião:
Quando lemos a sinopse deste livro em particular vemos mais ou menos como será a história e qual o desfecho que terá, mas mais que isso começamos por tentar responder à pergunta:

"Realizava o desejo do seu inimigo para salvar a sua filha?"

Claro que qualquer mãe ou pai faria tudo para proteger e salvar a vida dos seus filhos, fosse de que maneira fosse, logo aqui colocam-se outras questões: teremos nós coragem para matar? A pena de morte é uma punição aceitável para um assassino?

Como acontece quando leio os livros desta autora, fiquei confusa e acho que só daqui a algum tempo conseguirei pensar com clareza em tudo o que li e nas emoções que o livro nos passa.
Desde a perda da familia, à religião e aos direitos humanos a autora transforma este livro numa verdadeira lição de vida e, no final, acabamos por questionar mais uma vez: Seremos nós capaz de "matar" para salvar um filho?
Mas voltando à sinopse, não deve ser lida muito a sério!
Tenho de realçar também que tive o prazer de reencontrar a algumas personagens de outro livro ;)
Para mim a parte crucial deste livro está numa simples linha:

(Pag. 420)
"- Eu perdoo-lhe - disse ele."

Mas até chegar lá, muitas coisas serão ditas, algumas bem verdadeiras.

(Pag. 100)
"Eis a minha opinião: não me parece que as religiões se baseiem em mentiras, mas também não me parece que se baseiem em verdades. Acho que surgem devido ao que as pessoas precisam na altura. Como o jogador do World Series que não descalça as suas meias da sorte, ou a mãe de uma criança doente que acha que que o filho só consegue dormir se ela estiver sentada junto ao berço - os crentes precisam, por definição, de algo em que acreditar."

(pag. 115)
"- Não faz mal não sabermos algo - disse Shay. - É isso que nos torna humanos.
Independentemente daquilo que o Sr. Filósosfo Ali ao Lado pensava, havia coisas das quais tinha certeza: que fui amado, outrora, e que amei também. Que uma pessoa podia encontrar a esperança na forma como crescia uma erva. Que a essência da vida de um homem não estava no sitio para onde ia mas nos pormenores que o tinham levado até lá.
Que cometemos erros.
(...)
E lembrei-me de outra coisa que nos torna humanos: a fé, a única arma no nosso arsenal para combater a duvida."

"Dia da Mãe", de Patricia MacDonald

"É na casa que se escondem os segredos. Dentro de portas, para lá da aparente calmaria dos dias. Karen e Greg sempre viveram na pacata Bayland, em Massachusetts. Ali se conheceram, ali casaram, ali adoptaram Jenny. Uma harmonia que cedo se quebrará. O reaparecimento da mãe biológica da adolescente obriga Karen a enfrentar a dura verdade. Nada era como ela pensava, todos escondem alguma coisa."

A Minha Opinião:
Uma história "carregada" de mistérios que se vão descobrindo aos poucos e quando pensamos que está tudo dito, eis que aparece a revelação fianal e derradeira.
A luta de uma mãe adoptiva para manter a sua filha, mesmo depois de descobrir em que situação se fez a sua adopção. A mãe biológica morta e a filha sem saber em quem confiar!
Resta a policia descobrir a solução de todos os crimes ;)
Uma autora que vou ter sempre debaixo de olho!
(Bem haja Ligia por mais esta preciosidade!!!)

"Rio das Flores" de Miguel Sousa Tavares

"Sevilha, 1915 - Vale do Paraíba, 1945: trinta anos da história do século XX correm ao longo das páginas deste romance, com cenário no Alentejo, Espanha e Brasil. Através da saga dos Ribera Flores, proprietários rurais alentejanos, somos transportados para os anos tumultuosos da primeira metade de um século marcado por ditaduras e confrontos sangrentos, onde o caminho que conduz à liberdade parece demasiado estreito e o preço a pagar demasiado alto. Entre o amor comum à terra que os viu nascer e o apelo pelo novo e desconhecido, entre os amores e desamores de uma vida e o confronto de ideias que os separam, dois irmãos seguem percursos diferentes, cada um deles buscando à sua maneira o lugar da coerência e da felicidade. Rio das Flores resulta de um minucioso e exaustivo trabalho de pesquisa histórica, que serve de pano de fundo a um enredo de amores, paixões, apego à terra e às suas tradições e, simultaneamente, à vontade de mudar a ordem estabelecida das coisas. Três gerações sucedem-se na mesma casa de família, tentando manter imutável o que a terra uniu, no meio da turbulência causada por décadas de paixões e ódios como o mundo nunca havia visto. No final sobrevivem os que não se desviaram do seu caminho. "

A Minha Opinião:
Comecei este livro com as expectatias bem lá no alto pois adorei o Equador! Pois bem, mesmo assim as expectativas foram superadas!
O autor descreve-nos, pelo enredo do romance, 30 anos da nossa História e não só!
Ele começa por mostrar o impacto da queda da Monarquia e ascenção da Républica no nosso país e alguns anos depois a chegada da ditadura com o inicio do Estado Novo e de Salazar, com todas a consequências que daí surgiram.
De uma forma brilhante leva os personagens pela Europa, relatando os acontecimentos em Espanha na mesma altura, em Guerra civil, com a subida de Franco ao Poder e também na Alemanha, com Hitler e a perseguição aos Judeus... Mas vai mais longe, no além mar, também a ditadura se havia instalado, com a Governação de Getulio Vargas no Brasil e a queda dos Barões do Café.
No meio de toda a politica o autor consegue ainda salientar a descoberta de uma Lavadeira que se viria a tornar uma Fadista mundialmente conhecida - Amália Rodrigues - e actrizes como Amélia Rey Colaço e Beatriz Costa, valorizando assim a cultura portuguesa numa altura em que quase nada se podia fazer neste nosso Portugal.
No meio de muitas confusões, muitas foram as escolhas que tiveram de fazer para conseguirem seguir com as suas vidas.

(Pag. 525)
"Há decisões que se tomam e que se lamentam a vida toda e há decisões que se amarga a vida toda não ter tomado. E há ainda ocasiões em que uma decisão menor , quase banal, acaba por se transformar , por força do destino, numa decisão imensa, que não se buscava mas que vem ter conosco, mudando para sempre os dias que se imaginava ter pela frente. Às vezes são até estes golpes do destino que se substituem à nossa vontade paralisada , forçando a ruptura que temíamos quebrando a segurança morta em que habitávamos e abrindo portas ao desconhecido de que fugíamos."

Sem duvida um livro sublime.
Quando termino um livro assim, pergunto-me quantos tesouros destes mais terei eu "esquecidos" na minha estante... andei um ano a passar por ele todos os dias e só agora lhe peguei!

A Ilha das Garças, de Sue Monk Kidd

"No interior de um mosteiro beneditino na ilha de Egret, ao largo da costa da Carolina do Sul, repousa um misterioso trono com sereias gravadas, dedicado a uma santa que, segundo a lenda, era sereia antes da sua conversão. Quando Jessie regressa à ilha por causa de um acto de violência aparentemente inexplicável da sua excêntrica mãe, a sua vida prima pela normalidade e o seu convencional casamento com Hugh é seguro e estável. Jessie ama Hugh mas, uma vez na ilha, a atracção que sente pelo irmão Thomas, um monge que está prestes a fazer os votos solenes, é irreprimível. Rodeada pela beleza exótica dos pântanos, deltas e garças majestosas, Jessie debate-se com a tensão do desejo, com a luta e a negação dos seus próprios sentimentos, com a liberdade a que acha que tem direito e com a força inexpugnável do lar e do casamento. Será que o poder do trono da sereia é apenas um mito? Ou será capaz de alterar o seu destino? O que está prestes a acontecer irá desvendar as raízes do passado atormentado da mãe, mas, acima de tudo, permitir que Jessie se reconcilie com a vida.
A Ilha das Garças é um romance vívido sobre sereias e santos, sobre as paixões do espírito e os êxtases do corpo, iluminando brilhantemente o despertar de uma mulher para o seu eu mais profundo."

A Minha Opinião:
À Semelhança do "A Vida Secreta das Abelhas" este é um livro com uma história estranha, mas que apesar disso acaba por nos arrebatar e prender até à ultima linha!
Gostei especialmente da redescoberta do Amor pela familia e a forma como os protagonistas desta história resolveram seguir com a sua vida.
Dispensava bem a parte dos desdos dentro do frigorifico ;) mas enfim, se não fosse por eles a história não faria tanto sentido!
(Bem haja minha Querida AMIGA Fern2005!)

Escândalos Privados, de Nora Roberts

"Desenrolando-se no glamoroso mundo da televisão, Escândalos Privados conta-nos a história de Deanna Reynolds, a apresentadora de um pequeno talk-show em ascensão. Bonita, sincera e muito profissional, Deanna decide então partir para Nova Iorque, determinada em tornar-se a melhor dentro do género. Mas isto fá-la atravessar-se no caminho da sua antiga mentora, Angela Perkins, a actual rainha da televisão e uma mulher perigosa de desafiar. Angela não hesita em roubar convidados, fazer chantagem e até atravessar os limites do bom jornalismo para combater a crescente popularidade de Deanna. E o romance desta com o famoso e encantador repórter Finn Riley, por quem Angela sempre teve uma paixão, só aumenta a tensão. Mas a prova de que as coisas podem sempre piorar é o aparecimento de um fã obcecado, que deseja Deanna só para si, e que começa a matar todos aqueles que se aproximam dela…"

A Minha Opinião:
Este é daqueles livros da Nora que se podem perfeitamente dispensar!
Começo a achar que apenas as triologias valem a pena, pois acabam por ser mais elaboradas e com mais pormenores! Estes ultimos livros tenho-os achado bastante vulgares e superficiais (com excepção do Maléfico).
Mas continuo a achar que se lêem bastante bem, sem exigirem demasiado de mim ;)

(Bem Haja D.)

Um Estranho nos meus Braços, de Lisa Kleypas

"Lady Hawksworth, o seu marido não está morto…» Lara não podia acreditar no que estava a ouvir. O seu marido, desaparecido há um ano num naufrágio, com quem tinha vivido um casamento infeliz e desprovido de amor estava vivo e iria voltar para casa. Como era possível? Lara não conseguiu controlar a emoção quando reencontrou Hunter. O homem frio e cruel que lhe atormentou a vida e só lhe deu dor, vergonha e humilhação no leito matrimonial. Agora estava ali. Mais magro, com a pele mais escura, mais velho… mas sem dúvida que era Hunter. Aquele homem conhecia segredos que só o marido podia saber, tinha a sua fotografia guardada numa peque na caixa , a mesma que ela lhe dera há três anos quando Hunter partira para a Índia . Mas, a o mesmo tempo, era um homem assustadoramente diferente. Mais meigo, atencioso aos seus caprichos, decidido a reconquistar o seu amor, a fazê-la sentir-se uma mulher desejada e a esquecer as memórias tristes do passado. Mas será aquele homem realmente o seu marido ou um impostor em cujos braços Lara se entrega em busca da felicidade?

A Minha Opinião:
Gostei!
É daqueles livros que me ajudam a descontrair dos romances históricos mais complexos. A história flui de maneira rápida, está muito bem estruturada e tudo se encaixa no final!
Confesso que em todo o livro nunca tive a certeza se realmente era um estranho ou o marido de Lara!
(Bem haja Fbeatriz!)

Comer, Orar, Amar de Elizabeth Gilbert

"As alegrias do divórcio Aos 34 anos, Elizabeth Gilbert, escritora premiada e destemida jornalista da GQ e da SPIN, descobre que afinal não quer ser mãe nem viver com o marido numa casa formidável nos subúrbios de Nova Iorque e parte sozinha numa viagem de 12 meses com três destinos marcados: o prazer na Itália, o rigor ascético na Índia, o verdadeiro amor na Indonésia. Irreverente, espirituosa, senhora de um coloquialismo exuberante, Elizabeth não abandona um minuto a sua auto-ironia e conta-nos tudo acerca desta fuga desesperada ao sonho americano que começou no momento em que encontrou Deus.Quando fez 30 anos, Elizabeth Gilbert tinha tudo o que uma mulher americana formada e ambiciosa podia querer: um marido, uma casa, uma carreira de sucesso. Mas em vez de estar feliz e preenchida, sentia-se confusa e assustada. Depois de um divórcio infernal e de uma história de amor fulminante acabada em desgraça, Gilbert tomou uma decisão determinante: abdicar de tudo, despedir-se do emprego e passar um ano a viajar sozinha. "Comer na Itália, Orar na Índia e Amar na Indonésia" é uma micro-autobiografia desse ano. O projecto de Elizabeth Gilbert era visitar três lugares onde pudesse desenvolver um aspecto particular da sua natureza no contexto de uma cultura que tradicionalmente se destacasse por fazê-lo bem. Em Roma, estudou a arte do prazer, aprendeu a falar Italiano e engordou os 23 kilos mais felizes da sua existência. Reservou a Índia para praticar a arte da devoção. Com a ajuda de um guru nativo e de um cowboy do Texas surpreendentemente sábio, Elizabeth empenhou-se em quatro meses de exploração espiritual ininterrupta. Em Bali, aprendeu a equilibrar o prazer sensual e a transcendência divina. Tornou-se aluna de um feiticeiro nonagenário e apaixonou-se da melhor maneira possível - inesperadamente."

A Minha Opinião:
A autora dividiu a sua obra em 3 "livros" diferentes!
O 1º "Comer", 2º "Orar" e o 3º "Amar", confesso que não consegui passar do primeiro.
Gostei bastante do que li, mas sinceramente achei que não era o mometo indicado para continuar a leitura... quem sabe daqui a uns tempos ;)

Deixo as 2 passagens que mais... não sei se "gostei" será a palavra correcta, mas bom, elas aqui ficam!

(pags. 60/61)
"Caem sobre mim silenciosas e ameaçadoras como detectives Pinkerton e cercam-me - a depressão pela esquera e a solidão pela direita. Não precisam de me mostrar os destintivos, conheço-as muito bem. Há anos que brincamos o jogo do gato e do rato.
(...)
Digo-lhes:
- Como me encontraram aqui? Quem lhes disse que eu tinha vindo para Roma?
A depressão sempre mais cínica, responde:
- O quê? Não está contente por nos ver?
- Vão-se embora - digo-lhes.
A solidão, a mulher polícia mais sensível, diz:
- Desculpe, minha senhora, mas posso ter de a seguir enquanto está a viajar. É essa a minha tarefa..
- Preferia mesmo que não o fizesse - digo-lhe eu e ela encolhe os ombros como se pedisse desculpa, mas limita-se a aproximar-se ainda mais.

A seguir, esvaziam-me os bolsos de qualquer algria que lá tivesse. A depressão chega mesmo ao ponto de confiscar a minha identidade; mas ela faz sempre isso. Depois a solidão começa a interrogar-me, o que me apavoraporque se prolonga horas a fio. É educada mas inflexível e acaba por me apanhar em falso. Pergunta-me se tenho conhecimento de alguma razão para estar feliz. Pergunta porque estou sozinha esta noite."

(pag.87)
"Mas expliquei-lhe que a dor profunda é por vezes um local específico, uma coordenada num mapa do tempo. Quando nos encontramos naquela floresta de dor, não imaginamos que seja possível encontrar uma dia o caminho para um lugar melhor. Mas se alguém no disser que já ali esteve, naquele mesmo lugar, e que conseguiu de lá sair, isso por vezes dá alguma esperança.
- Então a tristeza é um lugar? - perguntou Giovanni.
- Às vezes, as pessoas vivel lá durante anos - disse eu."

"Fogo Negro", de C.J. Sansom

"Estamos em 1540, no Verão mais quente do século XVI.
O corcunda mais perspicaz dos tribunais de Inglaterra, Matthew Shardlake, acreditando ter caído em desgraça junto de Thomas Cromwell, tenta passar despercebido, continuando a sua prática de advocacia. Mas o seu envolvimento num caso de homicídio, leva-o de novo à presença do vigário-geral e a uma nova missão.
Perdida durante séculos, a fórmula do Fogo Negro, a lendária substância com que os Bizantinos destruíam os navios árabes, foi encontrada na biblioteca de um mosteiro londrino. Shardlake é enviado para a recuperar mas vai antes deparar com dois corpos brutalmente assassinados e com o desaparecimento da preciosa fórmula!Agora Shardlake tem de seguir o rasto desse Fogo através da Londres dos Tudor e, simultaneamente, de provar a inocência de uma jovem cliente, acusada de assassinato, e ainda de lutar contra as forças malignas que tentam, com uma brutal tenacidade, impedi-lo de chegar a bom porto. Mas, claro está, nada é o que parece e Shardlake terá de descobrir isso a tempo de salvar a sua vida e a dos que lhe são mais próximos.Tensão religiosa, turbulência política e convulsão social - três elementos que se unem numa atmosfera de cortar à faca, que serve de cenário a esta segunda história de Shardlake. E, mais uma vez, C. J. Sansom combina magistralmente ficção histórica e mistério, construindo um extraordinário tour de force de intriga e suspense."

A Minha Opinião:
Mais uma vez fiquei deliciada a acompanhar as aventuras deste advogado corcuda da altura das grandes mudanças religiosas em Inglaterra e da troca de Rainha constante ;)
A sua forma de solucionar os seus casos é brilhante, mas mais importante é a forma como trata todos por igual, sem olhar a classes sociais, isto no meio de uma sociedade bastante problemática, com todos as controvérsias que vieram da dissolução dos mosteiros "papistas" e da morte na forca da Rainha Ana Bolena... mas lá estou eu a fugir do assunto!!!!!!
Para quem acha que não gosta de romances históricos, aconselho a pegar nestas aventuras de Matthew Shardlake!
É maravilhosa a forma como nasce uma verdadeira amizade entre o Mestre Shardlake e Barak, fico desejosa de ver os desenvolvimentos no próximo livro!

(Bem Haja Wiccaa!)

"Desaparecido" de Susan Lewis

"O que faria se tivesse acontecido consigo?
Num dia de Outono perfeitamente normal, Miles Avery deixa a sua mulher, Jacqueline, na estação de comboios.O tempo está chuvoso, o trânsito estranhamente complicado e o rádio debita as mais recentes notícias. Entre o casal não há diálogo e nenhum dos dois parece estar diferente do normal. Na estação, Miles passa pela paragem de táxis, Jacqueline sai, transportando uma pequena mala feita apenas para uma noite, e dirige-se à estação.Mas Jacqueline não volta a ser vista... Dá-se início a uma investigação e, rapidamente, as suspeitas começam a recair sobre Miles.E, à medida que os obscuros segredos do passado começam a fundir-se com os do presente, o grande amor que ele tanto lutou para proteger não só é revelado, mas também ameaçado..."

A Minha Opinião:
Uma história marcante sobre o "desmoronamento" de uma familia perante uma das tragédias que eu considero das piores que alguém pode ter.
Como sempre há os que conseguem superar minimamente e os que pura e simplesmente não conseguem seguir adiane...
Foi o caso de Jaqueline que nunca conseguiu suportar a dor da perda do seu filho e nem perdoar-se de o ter perdido.
Um livro que nos faz pensar e por à prova todo o tipo de sentimentos, desde o amor, ao ressentimento, a perda mas ainda mais importante o perdão.
Fui avançando na história sempre na espectativa de saber onde estava Jaqueline e o seu Sam...
A autora retrata muito bem a realidade...
Não esquecendo o dilema da Sharon e o esforço e solidariedade de todos em ajudá-la ;) mesmo no meio de tanta tragédia.

(Bem Haja Semidio por mais este maravilhoso empréstimo!)

"As Esquinas do Tempo", de Rosa Lobato Faria

“Quando Margarida chegou à Casa da Azenha teve aquela sensação, não desconhecida mas sempre inquietante, de já ter estado ali.”
Margarida é uma jovem professora de Matemática. Um dia vai a Vila Real proferir uma palestra e fica hospedada num turismo de habitação, casa antiga muitíssimo bem conservada e onde, no seu quarto, está dependurado o retrato a óleo de um homem que se parece muito com Miguel, a sua recente paixão.Por um inexplicável mistério, na manhã seguinte Margarida acorda cem anos atrás, no seio da sua antiga família.Sem perder consciência de quem é, ela odeia esta partida do tempo. Mas aos poucos vai-se adaptando. Conhece o homem do quadro e apaixona-se por ele. Quando ele morre num acidente, Margarida regressa ao presente."

A Minha Opinião:

Mais uma vez a autora conta-nos a história de Margarida de uma forma poética!
Margarida, como diz na sinopse, viaja um século para trás e vive como se fosse uma de suas antepassadas, também ela Margarida ;)
Mas parece que ela não é a unica que se perde nas "Esquinas do Tempo".

"Olhar nos Olhos", de Alice Peterson

"Kate tem uma vida absolutamente perfeita: é bonita, é dona de uma loja de roupas muito na moda e tem uma relação com um homem rico e bem sucedido. Mas também tem um segredo: uma irmã mais nova, Bells, que é muito diferente dela e não encaixa no mundo perfeito que ela criou para si própria. Quando os pais de Katie lhe dizem que precisam absolutamente de tirar umas férias sozinhos, ela vê-se forçada a receber a irmã no apartamento imaculado que partilha com Sam, o namorado. O problema é que Katie nunca disse a ninguém que tinha uma irmã porque Bells nasceu com uma deficiência e a sua relação com ela sempre se pautou por uma mistura de embaraço e ressentimento por o amor e a atenção da mãe sempre se terem dirigido prioritariamente à pequena e indefesa Bells. Acontece que Bells é tudo menos indefesa, e a primeira coisa que faz assim que se instala no apartamento é encher de posters foleiros do David Beckham as belas paredes brancas de Katie, ouvir Stevie Wonder no máximo do volume e meter conversa com desconhecidos no supermercado. A relação de Katie com Sam fica rapidamente abalada e as coisas tornam-se ainda mais difíceis quando Katie recebe notícias perturbadoras sobre a mãe. Mas, com a ajuda de Bells, Katie irá acabar por perceber que o amor verdadeiro tem muitas faces e que as aparências podem efectivamente ser muito enganadoras."

A Minha Opinião:


Uma história comovente de uma familia que se redescobre por conta das adversidades que a vida por vezes nos trás.
Katie acabou por descobrir que a aparencia é o que menos importa e que olhando nos olhos da sua irmã ela descobria o Amor verdadeiro que sentia por ela, mas mais que tudo aprendeu a Olhar nos Olhos... a encarar as descrimnições das pessoas em relação às pessoas com algum tipo de deficiência.
É triste é sabermos que há discriminações a todos os minutos!
Este é um daqueles livros que aconselho a todos.
Vou ficar atenta a outras publicações da autora.

"Para Sempre, Talvez", de Cecelia Ahern

"Rosie e Alex vivem em Dublin e conhecem-se desde a escola primária. Sempre se mantiveram amigos e passaram juntos por muitas experiências desde a gravidez, ao casamento e divórcio. Um dia a distância separa-os: Alex parte com os pais para os Estados Unidos e Rosie sente-se muito sozinha. Consciente de que iria encontrar a felicidade junto de Alex, planeia ir ter com ele a Boston mas o destino força-a a manter-se na Irlanda. Uma série de malentendidos e azares deixa-os afastados e quando finalmente se reencontram não sabem o que fazer com a atracção que esteve sempre presente. Contado inteiramente através de correspondência escrita desde emails a cartas é um romance subtil e encantador sobre as nuances da amizade e amor."

A Minha Opinião:

Quando iniciei este livro achei logo que ia parar nas primeiras páginas devido à forma como está escrito ;)
Mas na realidade isso não aconteceu!
Depois das primeiras páginas, as seguintes foram passando com uma rapidez estonteante pois a evolução da história é realmente contagiante!
Senti-me como se estivesse a abrir o correio de outra pessoa ;)
Fez-me voltar aos bancos da escola e pensar nas amizades verdadeiras que por lá fiz...
Com esta leitura percebi que muito se perde nas "entrelinhas" dos bilhetinhos de escola e actualmente nos emails que se trocam, e que, por isso só passado muito tempo nos apercebemos o quão eram importantes aquelas amizades de há 20 anos atrás...
Eu infelizmente já não fui a tempo de reatar a minha grande amizade dos bancos de escola, como o Alex e a Rosie, pois a vida tirou-me essa oportunidade, mas ainda hoje se alguém me perguntar quem foi sempre a minha melhor amiga a resposta vem de forma inconsciente pois tudo na vida passa... menos a Verdadeira Amizade!

Crisálida, de Louise Bagshawe

"Que enervantes parecem todas aquelas criaturas cheias de glamour que rodeiam Anna Brown. Anna, uma leitora de argumentos cinematográficos, é uma espécie de patinho feio, que suporta com dificuldade o confronto com a beleza alheia. Um namorado horrível e um emprego sem perspectivas também não ajudam. Até que, num encontro de acaso, entre casacos e gabardinas, choca com Mark Swan, um célebre realizador, fechado e poderoso, com o qual todas as mulheres sonham. É claro que ele podia representar a oportunidade de Anna precisa para mudar a sua vida - mas como pode conquistá-lo? Cansada de se sentir inferior aos outros e do seu permanente desânimo, Anna decide actuar. Será que, com uma ajuda dos amigos, e um pano absolutamente fenomenal conseguirá obter o que deseja?"

A Minha Opinião:

Uma história engraçada!

Este é um daqueles livros bons para ler nas férias, para descontrair! Situações engraçadas e não é necessário muita concentração para seguir a história!

(Bem Haja Semidio!)

O Regresso, de Victoria Hislop

"Nas ruas calcetadas de Granada, sob as majestosas torres de Alhambra, ecoam musica e segredos. Sónia Cameron não sabe nada sobre o passado chocante da cidade; ela está lá para dançar. Mas num café sossegado, uma conversa casual e uma colecção intrigante de fotogrfias antigas despertam a sua atenção para a história extraordinária da devastadora Guerra Civil Espanhola.Setenta anos antes , o café era a casa da unida familia Ramirez.Em 1936, um golpe militar liderado por Franco destrói a frágil paz do país e, no coração de Granada, a familia testemunha as maiores atrocidades do conflito. Divididos pela politica e pela tragédia, todos têm de tomas uma posição, travando uma batalha pessoal enquanto a Espanha se autodestrói."


A Minha Opinião:

Peguei neste livro com as espectativas lá no alto, pois adorei "A Ilha"!
Gostei bastante, mas...
Acho que autora acabou por "abusar" um pouco na História da Guerra Civil espanhola descrevendo episódios sangrentos e medonhos, mas o facto é que a maioria deles aconteceu, como o do Campo de Touros de Badajoz...
Apesar dos horrores que descreve, essa parte do livro acaba por ser a melhor... achei a "história da vida" da Sónia bem fraquinha, acho que devia ter-lhe dado uns contornos diferentes para entusiasmar a leitura.
De resto é um livro bem conseguido e tudo se encaixa no final, como previsto desde o inicio!

A Caixa da Borboleta, de Santa Montefíore

"Ramon precisa de viajar pelo mundo. Quando conheceu a mulher, Helena, ela sabia da sua paixão e seguia-o nas suas aventuras. Com o nascimento dos filhos tudo se altera. Helena fica no Chile enquanto o marido continua as suas explorações pelo mundo. A quem não parece incomodar a ausência do pai é a Frederica, a sua filha. Aguarda-o a cada viagem com igual entusiasmado, ansiosa por ouvir as suas histórias e descobertas. No regresso de mais uma das suas incursões pelo Peru, Ramon oferece à filha uma caixa com pedras incrustadas em forma de borboleta. Aquele caixa, assim conta à filha, teria pertencido a uma princesa inca... Frederica fica encantada com o presente. A distância cresceu contudo entre os pais e Helena decide regressar com os filhos à Cornualha, na Inglaterra. Frederica não se conforma. Muito ligada ao pai guarda a caixa da borboleta que ele lhe ofereceu como um dos seus mais queridos objectos. Em Inglaterra tem de se adaptar a uma nova vida, mas, já só mulher, descobre o verdadeiro segredo daquele presente. Descobrindo o amor e a perda, a jovem Frederica embarca numa viagem de auto descoberta. Ou se afunda na tristeza, ou se ergue mulher, inteira, mais forte do que nunca. História de amor, perda e transformação vivida entre a paisagem chilena as zonas rurais de Inglaterra."

A Minha Opinião:
Neste romance a autora brinda-nos com, não uma mas várias, histórias de Amor!
Temos o Amor de Ramón pela esposa e pelos filhos, que apsar de longe nunca esmorece, depois temos o Amor dos pais pelos filhos e por fim o Amor incondicional de Frederica por um pai ausente, no final tudo se centra na bela Caixa da Borboleta... Tudo se resume ao Amor e ao facto de sabermos aceitar a vida e os sentimentos dos outros, mas sobretudo saber respeitar esses sentimentos...
Santa Montefíore é sem duvida nenhuma uma das minha autoras de eleição.

Sob um Céu de Mármore Branco, de John Shors

"Uma grandiosa história de amor, passada no Hindustão, tendo o Taj Mahal como pano de fundo. Uma intriga empolgante que encerra a verdade secreta do mítico mausoléu! Em 1632, o imperador do Hindustão, Shah Jahan, consumido pela dor por morte da Imperatriz, Mumtaz Mahal, ordenou a construção de um grande mausoléu que simbolizasse a grandeza do seu amor. Contra cenários de fundo de inimaginável riqueza e poder, de rivalidades fratricidas e de cruel despotismo, a princesa Jahanara narra a extraordinária história da edificação do Taj Mahal, descrevendo a sua própria vida como agente da sua criação e testemunha dos eventos fatídicos que rodearam a sua conclusão. Como princesa e mãe, como irmã e filha, Jahanara depara-se continuamente com escolhas impossíveis e descobre o verdadeiro significado da sua herança régia. Em Sob um Céu de Mármore Branco, John Shors recria um Hindustão histórico, transbordando de intriga empolgante e encerrando a verdade secreta do Taj Mahal, para um mundo que continua a vergar-se perante a sua eterna majestade."

A Minha Opinião:
Uma história de Amor sublime!
Já sabia que o Taj Mahal havia sido cronstruido po amor, o que não sabia é que não foi apenas o grande amor do Imperador pela sua esposa "Mumtaz Mahal" (a Joía do Palácio), mas uma outra belissima história de amor, que me fez ficar "pegada" ao livro!
Há muito amor neste livro, mas também muita traição e muito ódio.
Um Romance histórico à minha medida ;)

O Taj Mahal


O Taj Mahal é um mausoléusituado em Angra, uma cidade daÍndia e o mais conhecido dos monumentos do país. Encontra-se classificado pela UESCO comoPatrimonio da Humanidade. Foi recentemente anunciado como uma dasNovas Sete Maravilhas do Mundo Moderno.
A obra foi feita entre 1630 e 1652 com a força de cerca de 22 mil homens, trazidos de várias cidades do Oriente, para trabalhar no sumptuoso monumento de mármore branco que o imperador Shah Jahan mandou construir em memória de sua esposa favorita, Aryumand Banu Begam, a quem chamava de Mumtaz Mahal ("A jóia do palácio"). Ela morreu após dar à luz o 14º filho, tendo o Taj Mahal sido construído sobre seu túmulo, junto ao rio Yamuna.
Assim, o Taj Mahal é também conhecido como a maior prova de amor do mundo, contendo inscrições retiradas do Corão. É incrustado com pedras semipreciosas, tais como o lápis-lazúli entre outras. A sua cúpula é costurada com fios de ouro. O edifício é flanqueado por duas mesquitas e cercado por quatro minaretes.
Supõe-se que o imperador pretendesse fazer para ele próprio uma réplica do Taj Mahal original na outra margem do rio, em mármore preto, mas acabou deposto antes do início das obras por um de seus filhos.

A Árvore dos Segredos, de Santa Montefíore

"Um amor proibido nas Pampas argentinas. Numa apaixonante paisagem onde o sol se põe em tons de fogo, a escritora inglesa, Santa Montefiore, escreve um épico de amor, desilusão e segundas oportunidades. No rancho de Santa Catalina os irmãos Solanas vivem e crescem juntos. Quando Paco se apaixona por uma irlandesa, Anna Melody, tudo muda na família. A filha de ambos, Sofia, que cresceu sob a sombra da Ombu na quente planície, vive um amor proibido que a obriga a deixar a terra que sempre amou. Uma saga de família a levar-nos da Inglaterra à Argentina, numa cuidada narrativa de emoções fortes com um inigualável odor a gardénias..."



A Minha Opinião:

Este foi sem duvida o mais belo romance histórico que li este Ano!
Adorei!
Sofia Solanas e a sua familia ficarão por muito tempo no meu pensamento e de certo este é um dos livros que irei reler...

Aqui ficam umas linhas com uma maravilhosa história que dá que pensar:

"...
- É uma pequena história sobre "O Presente Precioso".
- O presente precioso.
- É uma história verdadeira sobre um rapazinho que vivia com os avós. O avô era um homem sereno e espiritual que lhe contava histórias maravilhosas. Uma das histórias que contou ao neto foi a do Presente Precioso. - ... - O menino ficou muito entusiasmado e perguntou ao avô que presente era. O velho disse-lhe que, a seu devido tempo, ele acabaria por descobrir, mas que era uma coisa que lhe traria uma felicidade duradoura como nunca antes sentira. Então o rapazinho manteve os olhos bem abertos e quando lhe deram uma bicicleta no dia dos anos, pensou que fosse aquele o "Presente Precioso", que o avô lhe descrevera. Mas, algum tempo depois, aborreceu-se do brinquedo novo e aprecebeu-se que aquele não poderia ser o "Presente Precioso", porque o avô lhe tinha dito que lhe traria uma felicidade duradoura.
Então o rapazinho cresceu e transformou-se num jovem que conheceu uma rapariga por quem se apaixonou. Por fim, pensou, «É este o presente precioso que me vai trazer a faliciade duradoura.». Mas discutiram, não se entenderam e acabaram por se separar. Então o jovem viajou e correu o mundo e em cada lugar novo pensou ter encontrado a verdadeira felicidade, mas estava sempre à procura de mais um país, de mais um local maravilhoso e descobriu que a felicidade nunca durava muito. Era como se procurasse uma coisa inatingível, mas que, mesmo assim procurava. E isto entristecia-o. Depois, tendo voltado a casar-se e já com filhos, achou que ainda não tinha descoberto o seu "Presente Precioso" de que o avô lhe tinha falado e começou a ficar desiludido.
Por fim o avô morreu e com ele o segredo do "Presente Precioso".... ou pelo menos foi o que o jovem pensou. Sentou-se muito triste a pensar nos momento felizes que tinha partilhado com o seu sábio avô. E por fim, depois de tantos anos de busca apercebeu-se.
Porque seria que o seu avô estava sempre tão satisfeito, tão contente, tão sereno? Porque seria que, quando se falava com ele, ele nos fazia sentir a pessoa mais importante deste mundo? Porque seria ele capaz de criar uma atmosfera tão pacifica à sua volta que a passava a todos que conhecia? Afinal o Precioso Presente não era um presente no sentido material da palavra. Era de facto o aqui e agora, o presente, el momento... ahora.
O avô tinha vivido o momento e saboreara cada segundo. Não existia o amanhã, pois porque razão gastar energia numa coisa que pode não acontecer? E não se demorava no ontem, porque ontem já passar e já não existia.
O Presente é a unica realidade e para obter a felicidade duradoura é preciso aprender a viver o aqui e agora e não nos preocuparmos ou perdermos tempo com outras coisas..."

Aqui fica a imagem da Árvore dos Segredos ;)

O ombu é um símbolo da cultura gaúcha do Uruguai e da Argentina, já que a sua copa é identificável à distância, providenciando abrigo contra a chuva e o sol (daí o chamar-se bela-sombra). Pela mesma razão é cultivada como árvore ornamental e de sombra. Crescendo de forma isolada, era chamado o farol das pampas.

O Anjo de Pedra, de Katherine Scholes

"Stella Boyd é uma jornalista de sucesso que reporta de alguns dos lugares mais exóticos e perigosos do mundo. É jovem, independente e o seu lar é qualquer lugar onde o trabalho a leva. É então que um fax urgente chega e seis palavras ameaçam desmoronar o seu mundo: “O teu pai desapareceu no mar...”
Poucos dias depois, Stella está de volta à pequena vila piscatória onde cresceu. Há mais de quinze anos que não regressava e tem medo das recordações que a aguardam... Mas quando Stella participa na busca do pai, vê-se transportada para 1975. Para aquele Verão quando conheceu Zeph, um jovem que navegava o mundo sozinho. Um extraordinário Verão que acabou em tragédia...
Conseguirá Stella enfrentar ódios antigos para que o amor possa finalmente curar as suas feridas?"

A Minha Opinião:

Adorei!
Li-o seguidinho ;)
Uma história simples e muito triste apesar do final feliz!Stella conseguiu desvendar os "mistérios" do seu passado abrindo assim uma brecha para alcançar a felicidade com alguns anos de atraso!As descrições do seu "problema" são arrepiantes, fazendo com que não se consiga interromper a leitura e fica-se com um sentimento de impontência que parece real... queremos chegar-lhe para a ajudar...
É daqueles livros que só se pode ler com lenços de papel bem à mão :)

(Bem haja Semidio por mais esta preciosidade!)

A Outra Face do Amor, de Catherine Dunne

"A sequela do bestseller internacional Nunca É Tarde Para Recomeçar é agora publicada recuperando a história de Rose, abandonada pelo marido Ben, após vinte anos de casamento. Com a ajuda de uma boa rede de amigos, uma grande determinação e trabalho duro, Rose não só conseguiu sobreviver emocionalmente a uma perda tão profunda, como se tornou uma bem sucedida mulher de negócios. Um dia, a campainha da porta toca e para surpresa de todos Ben reaparece mostrando-se interessado em reatar a relação com os filhos e recuperar metade do património familiar que considera pertencer-lhe. Rose lutará com toda a perseverança para garantir a salvaguarda do seu legado, com a ajuda do contabilista Sam, por quem acabará por se apaixonar."


A Minha Opinião:


Comecei logo a lê-lo assim que terminei o "Nunca é tarde para recomeçar".
Digamos que não gostei tanto como o outro, pois aqui as coisas já não foram tão bem sucedidas, apesar de Rose ter conseguido passar por cima de todos os seus problemas e encontrar de novo uma estabilidade para si e a sua familia.
Mas foi é sem duvida uma Autora que vai ficar na minha lista!

(Bem Haja Wiccaa!)