Jane - Emily, de Patricia Clapp

"Emily era uma criança mimada, teimosa e egoísta que morreu pouco antes de fazer treze anos. Mas isso foi há muito tempo… Jane é uma órfã de nove anos que vai passar o Verão a casa da avó, uma misteriosa mansão no Massachusetts. Jane é introvertida triste, e, pouco dada a brincadeiras de criança. Um dia, ao olhar para uma bola espelhada que enfeita o jardim, vê reflectido um rosto que não é o seu…
A partir de então, Jane passa cada vez mais tempo com uma amiga imaginária que mais ninguém consegue ver, mas cuja presença se faz sentir subtil e misteriosamente. Há muitos anos atrás, uma criança malévola e cheia de raiva viveu nesta casa – e, na verdade, nunca a abandonou. E agora, Emily quer que Jane lhe faça companhia… para sempre. Jane Emily é um clássico da literatura de terror que já arrepiou gerações de leitores. Com uma densidade psicológica brilhante e uma aterradora atenção ao pormenor, esta é uma história que os leitores dificilmente esquecerão. "

A Minha Opinião:
Gostei!
Um livro pequenino com uma história cheia de mistério que se lê num tarde ;)
Pensei que seria com mais terror, com grandes arrepios, mas esses só chegam mesmo na parte final.
Jane que vai passar o Verão a casa de sua avó onde é assombrada pela sua tia Emily que morreu muitos anos antes com a idade de Jane.
Emily que sempre havia sido uma menina caprichosa e com muita maldade tenta agora através da pequena Jane continuar a fazer valer as suas vontades.
Creio que a história poderia ter sido um pouco mais desenvolvida e assim aumentar um pouco mais o suspense, mas mesmo assim valeu a pena ler.
Vou ficar atenta a outros livros desta autora.

(Bem haja Fbeatriz e ao Site Segredos dos Livros!)

"Um lugar chamado Aqui", de Cecelia Ahern

"Sandy Short tornou-se obcecada por coisas e pessoas perdidas, desde que, ainda criança, uma sua colega desapareceu sem deixar rasto. Desde então não conseguia descansar enquanto, pelo menos, não descobrisse uma pista que fosse daquilo que desaparecera. Até que um dia ela própria desapareceu... Este é um encantador conto onde a magia, o humor e as vicissitudes da inesperada busca se fundem harmoniosamente para criar um envolvimento que prende o leitor. No fundo, trata-se da história de uma mulher à procura de si mesma, contudo, nesta divertida parábola, a autora explora temas ligados ao sentido profundo da vida, como conservar, deixar ir ou perder, mas também lidar com a identidade face à passagem do tempo, recordar as suas raízes e apreciar o valor do amor. "

A Minha Opinião:
Bem, devo confessar que este livro desiludiu-me um bocadinho.
Ao contrário dos outros livros da autora este não me encantou nem tão pouco me envolveu...
Sandy vive atormentada por tudo quanto desaparece, desde o par de uma das suas meias até às pessoas. Tudo começa quando uma menina da sua rua desaparece sem deixar rasto, a partir daí Sandy fica obcecada com os desaparecimentos o que faz com que mais tarde já adulta se dedique a ajudar nas buscas de pessoas desaparecidas, e de si própria.
No decurso de uma investigação também ela acaba por desaparecer indo "aparecer" num lugar a que os habitantes chamam "Aqui", em Aqui está tudo aquilo que desaparece, desde as pessoas às meias.
Na minha humilde opinião este é um romance que tinha tudo para ser um exito se a autora o tivesse escrito de uma forma diferente, se a história tivesse sido colocada de forma diferente, a autora "salta" da actualidade para o passado de Sandy e ao mesmo tempo fala de "Aqui", o que por vezes torna a história um pouco confusa, mas no final Sandy conseguiu resolver parte dos seus problemas com os "desaparecimentos de meias". Achei engraçado o paralelismo do final história de Sandy com a peça de teatro que faziam em Aqui: o Feiticeiro de Oz, um verdadeiro conto de fadas onde a personagem principal depois de muitas aventuras descobre que "Não há lugar melhor do que a nossa casa.", Sandy também perceberá isso.
Gostei da mensagem final :

"De vez em quando, todos nós nos perdemos, às vezes devido a forças que estão fora do nosso controlo. Quando descobrimos aquilo de que a nossa alma precisa, o caminho apresenta-se sem esforço à nossa frente. Por vezes, vemos a saída, mas mesmo assim desviamo-nos para mais longe e mais fundo apesar do que sabemos; o medo, a raiva ou a tristeza são o que nos impede de regressar. Por vezes preferimos andar perdidos a vaguear, porque por vezes é mais fácil. Mas seja qual for o caso, somos sempre encontrados por alguém." (pag. 343)

É um livro que vale a pena ler, mas sem duvida que não é o melhor da autora.

(Bem haja Maggie1984 pela oportunidade!)

"A Elegância do Ouriço" de Muriel Barbery

"É num edifício situado num bairro rico de Paris e habitado por uma burguesia rica e snobe, que decorre este emocionante romance contado a duas vozes. Alternadamente, as duas protagonistas vão dando a conhecer o seu bairro e as pessoas que as rodeiam. Renée é uma porteira de 54 anos, cultíssima autodidacta e apaixonada pela pintura naturalista holandesa, por filosofia, pelo cinema japonês e uma devoradora de livros. Paloma, a segunda protagonista, é uma adolescente de 12 anos, astuta, que percebe mais do mundo à sua volta do que aquilo que aparenta, e que deseja suicidar-se no dia do seu décimo terceiro aniversário. Entre a aparente humildade e ignorância de Renée e de Paloma, aparece um novo morador no prédio: o senhor Ozu, um japonês que inicia uma relação de amizade com ambas, formando-se um pequeno trio que terá para todos um papel redentor. Um livro terno, divertido e com personagens que irão cativar os leitores desde a primeira página."


A Minha Opinião:
Um livro bastante filosófico que nos faz pensar naquilo que realmente importa na nossa vida e nas coisas supérfluas a que damos importância no dia a a dia, mas sobretudo se mostramos o nosso verdadeiro "eu".
Custou-me um pouco a entrar na história, mas depois foi como uma "lufada de ar fresco".
A relação que se estabelece entre Renée, Paloma e Ozu é muito bonita, mas o final... bem, foi mesmo inesperado :S
Faz referencia a muitas obras literárias que eu gostaria de ler, mesmo as mais Filosóficas, a música e mesmo a cinema.

Este é um livro que muita gente deveria ler, para assim se conseguir encontrar e perceber que não basta parecer mas sim SER.

"Vejamos a primeira.

Há milénios que, entre os "conhece-te a ti mesmo" e os "penso logo existo", não se pára de glosar acerca dessa ridícula prerrogativa do homem que é a consciencia que ele tem da sua própria existência e sobretudo a capacidade que essa consciencia tem de se tornar a si mesma por objecto." (pag.47)

"E vamos à segunda questão: que conhecemos nós do mundo?

A esta pergunta, os idealistas como Kant respondem.

Que respondem eles?

Respondem: pouca coisa.

O idealismo é a doutrina segundo a qual só podemos conhecer o que é apreendido pela nossa consciencia, essa entidade semidivina que nos salva da bestialidade. Conhecemos do mundo o que a nossa consciencia dele pode dizer por ser o que ela apreende - e nada mais." (Pag.49)
(Bem Haja Melrita!)

"Traição", de Lyndsey Harris e Andrew Crofts

"Sarah Harris era uma criança feliz e apreciada por todos. Até se tornar, repentinamente, no alvo de um inimigo perigoso mas invisível — e a sua vida, e da família, transformou‑se num verdadeiro inferno. Em pouco tempo, a menina de seis anos foi suspensa da escola, alienada pelos amigos e vítima de suspeição no seu próprio lar.
Para a mãe, Lyndsey, foi como viver para além dos seus piores pesadelos. A filha que tanto amava parecia ter‑se transformado de um dia para o outro numa criança de quem quase tinha medo. A sua menina fazia o impensável: cortava tudo e mais alguma coisa, tentava envenenar os amigos, e chegou inclusivé a acusar os próprios pais de abuso sexual.
Em breve, o casamento de Lyndsey ficou à beira do abismo, os serviços sociais ameaçaram retirar as crianças aos pais e Lyndsey teve de lutar com todas as forças para manter a família unida. Mas o pior estava ainda para vir, quando Lyndsey descobre que foram todos vítimas da traição mais dolorosa…"

A Minha Opinião:
Um relato arrepiante sobre como uma "verdadeira" Amizade que torna a vida da familia num pesadelo, sobretudo a vide das crianças.
É assustador pensarmos que existem pessoas assim, completamente desiquilibradas não olhando a meios para ter todas as atenções sobre si mesmas.
Um livro que todos deveriam ler, em especial as pessoas que têem o mau hábito de abrir as portas de sua casa e do seu coração aos "Amigos" sem questionar nada, pensado sempre de boa fé... é o meu caso :(
Um conselho: as crianças apesar da sua inocência vêem sempre "mais longe" do que os adultos, por algum motivo se costuma dizer que "A verdade sai sempre da boca das crianças.".

(Bem haja Fbeatriz e ao Site Segredo dos Livros!)

"O Pacto", de Jodi Picoult

"Há dezoito anos que os Harte e os Gold vivem lado a lado, partilhando tudo, desde comida chinesa e varicela até irem buscar os filhos uns dos outros à vez. Quer os pais quer os filhos são melhores amigos, por isso, não é nenhuma surpresa quando a amizade entre Chris e Emily se transforma em algo mais na altura do liceu. Tornaram-se almas gémeas no momento em que Emily nasceu. Quando ligam do hospital por volta da meia-noite, ninguém está preparado para a verdade terrível: Emily, com apenas dezassete anos, está morta devido a um tiro na cabeça, aparentemente resultado de um pacto suicida. A arma contém uma bala que Chris diz à polícia estar-lhe destinada, mas uma detective local tem dúvidas. Os Harte e os Gold, num único momento aterrador, têm de encarar o pior medo de um pai: será que conhecemos mesmo os nossos filhos?"

A Minha Opinião:
Já é habitual ao ler os livros de Jodi Picoult ser completamente assolada pelos mais variados sentimentos e este não foi uma excepção.
Mais uma vez terminei a leitura envolta numa teia de emoções sem saber muito bem o que pensar.
Duas familias vizinhas fazem a sua vida quotidiana practicamente juntas fazendo com que os seus dois filhos cresçam sempre na companhia um do outro, partilhando tudo como se fossem irmãos, mas não o sendo, acalentando sempre a esperança que um dia iriam crescer namorar e casar, propagando a grande amizade que começou com os pais de ambos.
Eles crescem e namoram, mas o drama do Pacto de suicidio acaba com os sonhos de ambas as familias e também com a Amizade que as unia.
Emily morre e Chris é acusado de homicidio mesmo depois de afirmar que ambos pretendiam suicidar-se. Começa uma "guerra" de familias.
Será que foi suicidio? Será que ambos fizeram mesmo um pacto? Será que Chris matou realmente a pessoa que mais amava na sua vida e com quem pretendia casar? Será que os pais que vivem diáriamente com os seus filhos desde que nascem, os conhecem assim tão bem como pensam? O que faríamos nós por Amor?
Mais uma vez a autora nos dá uma lição de vida.

"O Último Beijo", de Luanne Rice

"A força incomparável do verdadeiro amor numa história marcante de uma comunidade a braços com um mistério devastador e de uma mulher que recupera o amor que acreditava estar perdido para sempre.
Um jovem de dezoito anos sai de casa, numa noite de Verão, e é encontrado morto – assassinado – menos de vinte e quatro horas depois. As pessoas lamentam o trágico acontecimento, mas a vida contínua. Contudo, e se o jovem fosse o nosso filho? Ou o nosso verdadeiro amor? Quase um ano após a morte do filho, a cantora e compositora Sheridan ainda não consegue tocar uma única nota. Refugiada na casa de praia, vive paredes-meias com as memórias e com uma dor demasiado profunda para partilhar com quem quer que seja. Nem tão pouco consegue consolar a namorada de Charlie, Nell Kilvert. A jovem, por seu lado, não descansará enquanto não descobrir o que aconteceu de facto ao seu amor, decide, então, chamar alguém que vai mudar a vida de todos – a alma gémea de Sheridan, Gavin Dawson. Num barco ao largo de Hubbard’s Point, Gavin observa a casa da mulher que sempre amou. Sheridan havia também, um dia, acreditado no poder do amor. Mas essa crença morreu com o filho…
Profundamente emotivo, O Último Beijo evoca o poder do passado para sarar os corações partidos, mas também para reabrir velhas feridas, numa inesquecível história de amor. "

A Minha Opinião:
Estava desejosa de ler este livro :))) e com razão.
A vida de Sheridan e Nell perde todo o sentido com a morte de Charlie.
A dor sem descrição de uma Mãe que perde o seu unico filho e de uma adolescente que perde o seu grande amor são os pontos fulcrais da história.
Mas há uma comunidade inteira para as apoiar, desde Stevie a madrasta de Nell que também ela vive num impasse com o seu Amor, às irmãs de Sheridan, que tentam a todo o custo ajudá-la recorrendo aos seus antepassados Irlandeses, às suas feitiçarias ensinadas pela sua avó Afrodite ;) e aos seus cozinhados.
A morte sem sentido de Charlie faz com que Nell recorra a Gavin, o grande amor de Sheridan na adolescencia, para investigar as circunstâncias em que tal morte ocorreu. Juntos conseguirão desvendar o grande mistério que envolve a morte de Charlie, com muitas surpresas, mas também redescobrir que o Amor ainda é possível.
Luanne Rice consegue com as suas palavras fazer-nos sonhar...

(Bem Haja Querida Fernanda por esta preciosidade!)

"Como Salvar um Coração Partido", de Susan Richards

"A égua que Susan Richards decidira adoptar não queria entrar no atrelado. Lay Me Down, porém, uma antiga égua de corrida com um poldro nos calcanhares, subiu docilmente a rampa e entrou na vida de Susan. Subalimentada, fruto de uma vida dura, Lay Me Down tinha, no entanto, um coração aberto e generoso. O destino levou-a para o picadeiro de Susan, onde ensinou esta mulher de coração destroçado a abraçar as alegrias da vida, apesar dos seus perigos. As lições de amor são muito diversas. Para Susan, a adopção de uma égua maltratada teve um impacto fantástico na sua vida, um impacto que nunca teria podido prever.
A experiência mostrou-se profundamente instrutiva, levando-a a acreditar que o amor pode alimentar o espírito humano e ajudá-lo a ultrapassar a dor e a perda de uma pessoa querida. Uma história inspiradora sobre o significado da família e o que a perda de um ente querido nos pode fazer e fazer por nós."

A Minha Opinião:
Este foi um livro que me tocou no fundo do coração.
A dedicação de Susan aos seus cavalos e em especial à sua égua fez-me emocionar várias vezes.
Susan, com os seus cavalos aprendeu que a solidão por vezes somos nós mesmos que a criamos pois há sempre uma maneira de ser feliz, apesar de todos os dissabores que a vida por vezes nos causa.
Lay Me Down, a égua que Susan acolhe juntos dos seus 3 cavalos, depois de esta ter passado por mais de uma década de maus tratos, vai fazê-la ver que a vida tem sentido e que tem de aprender a perdoar os outros e a ela mesma e seguir em frente, sempre tentando ter uma vida melhor.
Adorei as descrições das reacções dos cavalos à presença de Lay Me Down e a forma como começaram a interagir entre si.
Um livro maravilhoso que tive o prazer de ler no meio do campo rodeada por Cavalos e por um Poldro com apenas 1 dia de vida ;)

"Gótica", de Clara Tahoces

"Estepa, finais do séc. XVIII. A jovem Analisa chega de Madrid para acudir à tia moribunda. Uma vez lá, a jovem começa a sofrer de estranhos e terríveis pesadelos e de um mal subtil que parece consumi-la pouco a pouco. Um dia Analisa acorda dentro de um caixão. Junto a ela repousa a tia, aparentemente morta. Quando a jovem escapa e se sente a salvo, descobre que algo grave aconteceu. E sente a dor aguda da fome…Madrid, princípios do século XXI.
A verdadeira vocação de Alejo é a escrita. Assim, enquanto trabalha em telemarketing, dedica-se intensamente à investigação para aquela que será a sua grande obra literária.
Até que Dário, o irmão da namorada, entra nas suas vidas. É um tipo estranho, que se considera «caçador de vampiros», e arrasta Alejo para o ambiente gótico de Madrid. Tudo muda no dia em que Alejo conhece Ana, uma mulher misteriosa e fascinante que se torna a sua única obsessão."

A Minha Opinião:
Este foi um livro estranho!
Estava à espera de uma grande caçada aos Vampiros mas isso não aconteceu.
Gostei, mas não foi nada do que estava à espera, confesso que esperava mais.
É a historia de Analisa e de como se tornou Vampira no Sec. XVIII e paralelamente como vive no Sec. XXI depois de tanto tempo.
O enquadramento dos Góticos também ficou um pouco aquém daquilo que é na realidade.
Enquanto lemos, a história toma um rumo que nos leva a pensar num final bem diferente daquele que nos é apresentado o que me fez, no final da leitura, voltar ao inicio da história da Analisa para perceber algumas coisas sobre a sua infância e sobretudo sobre a sua tia.
De refrir ainda a tradução que é péssima, tanto a nivél de erros ortográficos, como a palavras que ficaram como no original e mesmo na estruturação do texto, especialmente nos diálogos.

(Bem haja Fbeatriz e ao Site Segredos dos Livros.)

"Troca de Identidades", Don & Susie Van Ryn - Colleen, Newell e Whitney Cerak

"Laura Van Ryn e Whitney Cerak, duas jovens universitárias, foram vítimas de um trágico acidente de viação. Uma foi sepultada sob o nome errado, a outra ficou em estado de coma e a ser tratada por uma família que não era a sua. Troca de Identidades é uma história sem precedentes de duas famílias traumatizadas, que, ao descreverem a bizarra provação a que foram sujeitas, descobrem o laço que as une enquanto enfrentam a reviravolta de uma vida perdida e de uma vida redescoberta.
Enquanto as famílias tentam lidar da melhor forma com a chocante revelação, Whitney Cerak, a única sobrevivente, luta por um novo começo.
Troca de Identidades tece uma envolvente narrativa de perda, esperança, fé e amor perante uma das mais estranhas ironias do destino que se possa imaginar e celebra as dádivas e os mistérios insondáveis da vida."

A Minha Opinião:
Uma história incrivél na qual entramos já sabendo o desfecho, mas mesmo assim é arrepiante ler quais os sentimentos que passaram as duas familias no meio de toda esta confusão.
Os testemunhos das duas familias são comoventes, mas sempre de uma forma bastante positiva devido à sua enorme Fé em Deus, confesso que até me senti um pouco invejosa por não ter uma Fé assim.
No meio de tanta dor pela morte de uma filha, ambas as familias reagiram de forma serena entregando a sua dor e as suas vidas nas mãos de Deus.
As reacções da familia de Laura e as suas actitudes para com a familia de Whitney foram maravilhosas, mesmo estando a passar por tanta dor partilharam a alegria de ver renascer uma filha e tudo isso devido ao apoio que encontravam na sua Fé.
Gostei bastante.

(Obrigado Fbeatriz e ao site Segredo dos Livros)

"Alguém como Tu", de Cathy Kelly

Emma, Leonie e Hannah têm um desejo por concretizar – e então serão verdadeiramente felizes… Para a recém-casada Emma, a felicidade consiste em conceber um filho e escapar ao domínio do pai, que continua a controlar e a criticar cada um dos seus passos.
Leonie, uma divorciada mãe de três adolescentes e dona de um coração grande, procura o verdadeiro amor. Mas quando o homem dos seus sonhos finalmente aparece terá ela coragem para seguir o seu coração?

E para Hannah, a restabelecer-se de uma dolorosa separação, a felicidade advém de uma carreira de sucesso, que lhe dará a tão desejada independência e segurança – algo que, acredita ela, nenhum homem alguma vez lhe poderá dar. Ou será que pode?
Mas, por vezes, desejar algo do fundo do coração pode destruir a felicidade que espreita à porta…
Alguém como Tu enaltece a importância da amizade. À medida que cada uma segue a sua vida, aprende que, com amigas como estas, a vida floresce de formas maravilhosas e muitas vezes surpreendentes.

A Minha Opinião:
A história de 3 mulheres que se conhecem numas férias ao Egipto e que se tornam as melhores amigas.
O grande objectivo de cada uma delas é atingir um ponto de equilibrio nas suas vidas atribuladas conseguindo assim alcançar a felicidade.
Leonie depois de um divórcio e com 3 filhos sonha em encontrar alguém com quem partilhar a sua solidão, Hannah uma mulher moderna depois de um desastroso relacionamento anseia por viver a sua vida de forma totalmente independente, mas ainda ssim procura o Amor; Emma tem uma relação estável, um marido maravilhoso mas não consegue engravidar e tem pela frente uma batalha a travar com o intransigente Pai e a doença da sua Mãe.
Um livro que se lê muito bem, sem grandes floreados e que nos envolve completamente. Mais uma autora descoberta e que pretendo seguir ;)
Apenas encontrei um senão: as letras são minúsculas!!!

(Bem Haja à Fbeatriz e ao Site Segredos dos Livros.)

"Silver Bay - A Baía do Desejo", de Jojo Moyes

"Mike Dormer chega a Silver Bay, uma pacata vila costeira da Austrália, com um único e secreto intuito que abalará por completo a vida dos seus habitantes.Mas Silver Bay reserva-lhe um destino diferente.Liza McCullen e a sua filha Hannah, de dez anos, residem no familiar Hotel Silver Bay - tão excêntrico como a sua proprietária Kathleen - onde Mike se hospeda. As suas personalidades enigmáticas exercerão um fascínio inexplicável sobre o pragmático executivo londrino, que se deixará envolver irremediavelmente pelos membros da pequena comunidade de Silver Bay e pela magia que descobre no seu modo de vida. Em pouco tempo, Mike sentir-se-á dividido entre a culpa e o desejo, a responsabilidade... e a paixão inesperada. Paralelamente, a vida de Liza sofrerá uma reviravolta inevitável.Prisioneiros de uma perigosa teia de segredos e mentiras, estarão eles preparados para enfrentar os acontecimentos que se avizinham?"


A Minha Opinião:
Este foi um romance belissimo que me surpreendeu pela positiva.
Comecei a ler sem muito interesse pensando que este era mais um daqueles livros que nos ajudam a desanuviar um pouco, retratanto uma bela história de amor sem muito promenores.
É realmente de Amor que nos fala, de amor pelos Amigos, pela Terra, pelo Mar e por tudo!!!
Ao longo de toda a história vi-me no meio daquela baía com a Lisa no seu barco a observar as Baleias Corcundas e a ouvir os seus lamentos e alegrias, a ver saltar os golfinhos... há alturas na leitura em que se consegue mesmo sentir que estamos lá tal é descrição da autora, tanto dos momentos bons como dos maus, pois houve alturas em que chorei imenso de tristeza como os personagens!
Temos depois a maldade, a traição, a desilusão e uma tristeza imensa pelas perdas da vida.
A luta de todos pela sobrevivencia de um local paradisiaco e dos seus animais é intensa.
Tenho de referir também que neste livro mais uma vez constatei que as crianças são muitas vezes mais maduras que os adultos e que muitas vezes são deixadas em 2º plano para que continuem na sua "vidinha de criança" à margem dos probelams da "gente crescida", um erro que infelizmente por vezes não tem bons resultados (apenas um desabafo).
Não vou dizer muito mais para não desvendar muito, apenas que é um leitura que recomendo e que as surpresas vão até às ultimas linhas ;)
Uma autora que vou sem duvida continuar a seguir.

(Bem haja por mais esta oportuninade Fbeatriz e também ao Site Segredo dos Livros!)