A Menina Mais Triste do Mundo, de Cathy Glass


Lançamento a 6 de Julho

A Minha Opinião:
Cathy Glass é sem duvida uma mulher extraordinária!
Quanto inicie a leitura deste pequeno livro, com uma capa que retrata extremamente bem a tristeza nos olhos de uma criança já estava à espera de um relato por vezes arrepiante por se tratar de uma criança, mas no desfolhar das páginas e quando pensava que já tudo tinha acontecido surgia mais qualquer coisa que me fazia fechar o livro e pensar "Como é possivel isto acontecer???", mas logo a seguir voltava à leitura com entusiasmo, contente por existirem no nosso monstruoso mundo pessoas maravilhosas e generosas como Cathy.
Neste livro ela conta-nos a sua experiancioa enquanto Mãe de Acolhimento de Donna, uma criança negra com graves problemas de maus tratos, não só fisícos, mas sobretudo psicológicos por parte da sua mãe e irmãos, especialmente ao nivel do racismo.
Quando Cathy recebeu Donna no seio da sua familia percebeu logo que não iria ser fácil o contacto com aquela criança, com uma tristeza tão grande. Tentando a todo o custo integrar Donna, Cathy consegue trespassar a grande barreira que Donna havia erguido com o seu silêncio e com ela levar os seus dois filhos, Paula e Adrian, criando assim um verdadeira familia para a pequena Donna.
Mas nem tudo será sempre fácil e muito, mas muitos problemas vão surgindo ao londo dos meses que Donna passa com esta maravilhosa familia, e todos eles criados pela familia biológica de Donna, especialmente a sua mãe.
Este é um livro que nos faz pensar nas riquezas que temos, nas futilidades que nós e os nossos possuem, enquanto muitas crianças não possuem nem sequer um pouco de carinho, um pequeno sorriso, um simples abraço que muitas vezes são toda a diferença para termos um dia feliz.

"... Quero que vocês todos gostem de mim. Por favor, não deixem de gostar de mim Cathy. Eu preciso que gostem de mim. ..." (pag. 216)

Cathy Grass transformou a vida de Donna e de outras crianças e com os seus livros.
"A Menina Mais triste do Mundo" é um livro que nos enche de tristeza mas que ao longo das suas páginas faz crescer a esperança com a generosidade de Cathy e dos seus filhos. No final tudo acabou "bem" dentro do possível, graças a eles :)
Não deixem de o ler pois é uma verdadeira lição de vida.
Eu vou tentar ler em breve o "Infância Perdida" ;)

2 comentários:

cris disse...

venho de vez em quando espreitar no seu blog.Espreite o meu."O tempo entre os meus livros"um bjinho

Bruna disse...

Olá!
Nunca tinha lido nenhum livro desta escritora.
Mas depois de ler esta obra, fiquei fascinada.

A narrativa torna-se mais intensa à medida que vamos avançando, mostrando mistério e um grande suspense.
É impossível parar de ler este livro!

A forma como as personagens ganham vida, parecendo que estamos a ver um filme, é inevitável controlar a ansiedade de chegar rápido ao seu fim.

Espectacular...

Espreita o meu blog...

Beijinhos