"O Cerco das Sombras", de Jayne Ann Krentz

"O romance mais intenso e imprevisível de Krentz revela os segredos e o passado chocante de uma mulher fascinante. Zoe Luce é uma famosa desenhadora de interiores. Trabalha em Whispering Springs no Arizona e tem o dom de oferecer aos seus clientes exactamente aquilo que desejam: lar novo, vida nova. Porém, há ocasiões em que Zoe não é capaz de satisfazer os desejos de um cliente e sabe, por experiência própria, que não basta uma demão de tinta, para dissimular o passado impregnado no lar de cada um.
Assim, quando desconfia que um dos seus clientes pode estar a ocular um segredo osbscuro e terrível, decide contratar os serviços de um detective privado, Ethan Truax.
A habilidade de Ethan como investigador volta-se contra Zoe, pois este descobre segredos guardados pelas paredes daquela casa mas também os terríveis segredos guardados por Zoe na sua vida passada...
Agora, por muito que tente resistir, o seu medo aumenta perante o risco de se ver envolvida noutro terrível pesadelo..."

A Minha Opinião:
Um história bem criada com bastante suspense.
Há o tipico crime, o romance e todos os outros "ingredientes" habituais da autora que fazem com que o interesse permaneça até à ultima página.
Este é o tipo de livro que de vez em quando apetece ler para desanuviar ;)

(Bem haja Fbeatriz!)

"Pássaros sem Asas", de Lous de Bernières

"Uma história épica de amor, guerra e paz, pela mão do autor de O Bandolim do Capitão Corelli.O que têm em comum a belíssima Philothei e o seu apaixonado Ibrahim; Veled, o Gordo, cujo camelo exige um cigarro antes de iniciar qualquer deslocação; Ali, o Nariz-Partido, que vive com a família numa árvore oca no centro da vila; Mohammed, o Apanhador de Sanguessugas; um pedinte mudo que vive numa gruta; Rustem Bey, que sofre porque a sua jovem mulher está apaixonada por outro homem; Kemal Atatürk, o fundador e primeiro presidente da República da Turquia; e dois rapazes, um cristão e o outro muçulmano, que comunicam através de apitos que emitem sons dos pássaros? Todos eles assistem ao colapso do império otomano e à transformação do mundo tal como o conhecem. Subitamente lançados para o turbilhão da História do século XX, todas estas personagens terão de lutar pelo que lhe é mais querido… e pela própria vida."

A Minha Opinião:
Esta foi uma leitura um bocadinho conturbada.
Em primeiro lugar fiquei logo assustada com as 685 páginas, depois com tantos personagens (com nomes estranhos) e com todos os termos utilizados pelo autor logo nas primeiras páginas
A história gira à volta dos habitantes de uma pacata aldeia, com os seus problemas cotidianos mas que se entreajudam entre sim em todas as situações até ao dia em que têem de voltar costas uns aos outros devido às suas crenças religiosas.
Muçulmanos e Cristão viviam em plena harmonia, respeitando-se mutuamente até ao dia em que começa a Guerra que levou à grande derrocada do Império Otomano e à obrigatoriedade de nuitos inocentes "pagarem" sem nenhuma culpa, fazendo mais uma ves aquilo que outro obrigavam.
O Imã e o Sacerdote que até então tinham conseguido manter sempre a calma vêem tudo cair por terra e as lutas começam, mas no meio de tantas desgraças, provocadas por uma guerra que nem eles percebem, perdura sempre a antiga amizade independentemente das crenças de cada um, pois como eles diziam "... Bem, no fim de contas, somos ambos povos do Livro Sagrado...".
As descrições dos tempos de guerra são muitas vezes crueis e bem realistas, o que me levou várias vezes a amabdonar a leitura, perguntando-me como é que é possivél que acontecessem coisas assim... mas o facto é que ainda hoje acontecem...
As personagens são de uma beleza extrema. Gostei da forma como o autor apresentou cada uma delas quase que individualmente e as foi interligando logo umas às outras avançando e recuando no tempo diversas vezes.
Gostei bastante.
Um romance histórico muitissimo bom com o qual aprendi mais um bocadinho sobre o Império Otomano sobre a religião Muçulmana.
E para rematar, aqui fica uma passagem belíssima e verdadeira:

"... No passado, tu e eu acreditámos que éramos pássaros e fomos felizes quando batiamos nossas asas, e caíamos e nos esmorrávamos, mas a verdade é que éramos pássaros sem asas. (...)
Para pássaros com asas nada muda; voam quando querem e não percebem nada de fronteiras, e as suas disputas são muito pequenas.
Mas nós estamos confinados à terra, por muito que trepemos a lugares altos e batamos nossos braços. Como não conseguimos voar, estamos condenados a fazer coisas que não combinam conosco. Como não temos asas, somos empurrados para lutas e abominações que não procurámose, então, os vales erguem-se, os rios são bloqueados pela areia e as falésias caem ao mar."

(Bem haja Fbeatriz e ao Segredo dos livros)

"As coisas que nunca dissemos", de Marc Levy

"Walsh sempre teve uma relação difícil com o pai. Quase nunca se viam, mal se falavam e, das raras vezes em que estavam em contacto, acabavam sempre a discutir. Três dias antes do seu casamento, Julia recebe um telefonema da secretária do pai. Tal como ela esperava, Anthony Walsh não vai poder comparecer ao seu casamento. Contudo, tem uma justificação inabalável: está morto. Julia não consegue deixar de ver o lado tragicómico da situação. De um momento para o outro, passa da preparação de um casamento para a preparação de um funeral. Até depois de morto, Anthony Walsh parece ter o dom de transtornar a vida da filha. Mas, a seguir ao funeral, Julia descobre que o pai tinha mais uma surpresa reservada: a maior aventura da sua vida e, finalmente, uma oportunidade de dizer tudo aquilo que sempre calou… No seu comovente e divertido novo romance, Marc Levy cria um mundo de intriga e suspense, através de uma história sobre a força do amor. "

A Minha Opinião:
Esta é uma história que nos mostra que muitas vezes utilizamos a palavra Amor para descrever todo o tipo de sentimentos e muitas vezes não vemos realmente o Amor no nosso dia a dia.
Quando iniciei a leitura fiquei um pouco de pé atrás com a situação da "encomenda"... Não vou entrar em detalhes para não estragar a surpresa a quem o quer ler ;)
Passada essa fase foram surpresas atrás de surpresas que fizeram com que aquele pequeno incidente da encomenda fosse completamente posto de parte.
Este livro mostra-nos que o Amor está nas pequenas coisas, o Verdadeiro Amor passa muitas vezes por pequenos pormenores da vida aos quais muitas vezes não damos qualquer importância, pois nem sequer nos apercebemos deles, como é o caso deste:

"... - És tu que me vais dar lições de Amor?
Anthony olhou para a filha atentamente e aproximou a sua poltrona.
- Recordas-te do que faziam quase todas as noites quando eras criança, enfim, até adormeceres?
- Lia debaixo dos lençois com uma lanterna.
- Porque não acendias a luz do quarto?
- Para que tu acreditasses que eu já estava a dormir, mas na realidade lia às escondidas...
- Nunca perguntaste a ti mesma se a lanterna era mágica?
- Não, porquê, devia tê-lo feito?
- Apagou-se alguma vez durante todos essas anos?
- Não - respondeu Julia perturbada.
- Todavia nunca lhe mudaste as pilhas..."

Julia descobre o que realmente é o Amor e que ele pode sobreviver a tudo, até à própria morte.
Não deixem de ler este livro, pois tal como é hábito nos livros deste autor, tem uma bela Lição de Vida.

"A Catedral do Mar", de Ildefonso Falcones

"Século XIV. A cidade de Barcelona encontra-se no auge da prosperidade; cresceu até ao humilde bairro dos pescadores, cujos habitantes decidem construir, com o dinheiro de uns e o esforço de outros, o maior templo mariano conhecido: Santa Maria do Mar. Uma construção paralela à desditosa história de Arnau, um servo da terra que foge dos abusos do seu senhor feudal e que se refugia em Barcelona. Daqui se torna cidadão e, assim, num homem livre. O jovem Arnau trabalha como estivador, palafreneiro, soldado e cambista. Uma vida extenuante, sempre à sombra da Catedral do Mar, que o tirará da condição miserável de fugitivo para lhe dar nobreza e riqueza. Mas com esta posição privilegiada chega também a inveja dos seus pares, que tramam uma sórdida conspiração que põe a sua vida nas mãos da Inquisição... Lealdade e vingança, traição e amor, guerra e peste, num mundo marcado pela intolerância religiosa, a ambição material e a segregação social. Um romance absorvente, mas também uma fascinante e ambiciosa recreação das luzes e sombras do mundo feudal. "

A Minha Opinião:
Este foi um dos melhores Romances Históricos que li até hoje.
As descrições detalhadas da construção duma das mais belas catedrais do mundo: Catedral de Santa Maria del Mar, em Barcelona.
É um livro bastante extenso repleto de muitos pormenores históricos, demais demais até, mas a história é bastante bem construida retratando bem a vida em Barcelona no Sec XIV.
Para quem gosta de Romance Histórico este é um a não perder, e se por acaso durante a sua leitura apetecer desistir devido aos minuciosos pormenores da História de Espanha, não o façam pois no final tudo é compensado ;)

"O Jogo do Anjo", de Carlos Ruiz Zafón

"Na Barcelona turbulenta dos anos 20, um jovem escritor obcecado com um amor impossível recebe de um misterioso editor a proposta para escrever um livro como nunca existiu a troco de uma fortuna e, talvez, muito mais. Com deslumbrante estilo e impecável precisão narrativa, o autor de A Sombra do Vento transporta-nos de novo para a Barcelona do Cemitério dos Livros Esquecidos, para nos oferecer uma aventura de intriga, romance e tragédia, através de um labirinto de segredos onde o fascínio pelos livros, a paixão e a amizade se conjugam num relato magistral."

A Minha Opinião:
Depois de quase me "mentalizar", pelas criticas, que este livro era inferior ao "Sombra do Vento" lá resolvi dar-lhe uma oportunidade, e ainda bem!!!
Adorei! Ainda tenho aquela sensação de torpor que me tomou ao longo da sua leitura, num impasse de não saber se deveria continuar ou não.
Quanto mais a história se tornava sombria e tenebrosa fazendo por vezes surgir a vontade de parar com a sua leitura, maior era a vontade de continuar e saber qual seria o desfecho de tantas personagens, tantas pontas soltas que quase nunca pareciam ter solução possivél para se encaixarem... confuso, não é?
Quando estava a ler parecia que também eu estava "tomada" pelo Patrão e era impossivél parar de ler :). Estava como que hipnotizada pela história que pouco ou nada tem de cativante, mas a verdade é que nos agarra de uma forma magistral fazendo com que nos imaginemos nas ruas da cidade dos Malditos onde ao longe "soam os sinos de Santa Maria Del Mar".
Adorei voltar à Livraria Sempere onde sabiam dar valor aos livros (nos "nossas" livrarias a maioria dos empregados e propriétários mal sabe ler :p) e saber como foram os antepassados do Daniel do "Sombra do Vento".
Espero que em breve apareça mais algum livro do Autor, pois a sua escrita tem Alma... e acho que é Alma dos Malditos ;)

"Descalças", de Elin Hilderbrand

"Três mulheres – carregadas com crianças e alguns problemas emocionais óbvios – chegam ao aeroporto de Nantucket numa quente tarde de Verão. Vicki, mãe de dois rapazes, está a tentar aceitar a notícia de que tem uma doença grave; a irmã, Brenda, foi despedida do seu prestigiado emprego de professora universitária por manter uma relação íntima com um estudante; e a amiga de ambas, Melanie, após sete tentativas falhadas de fertilização in vitro, está finalmente grávida – depois de descobrir que o marido tem um caso.
Com o intuito de sarar as suas feridas, apanhando sol e sentindo a areia nos pés, «fugiram» para Nantucket sem saber que encontrariam Josh, um desconhecido que mudará as suas vidas.
Será que a adorável casa de férias, que pertence à família há gerações, vai ser suficientemente grande para o turbilhão de emoções que a invade?Descalças une estas quatro vidas numa história irresistível. Um romance tão divertido, memorável e agridoce quanto a própria vida."

A Minha Opinião:
Esta é uma história da vida real.
Conseguimos com muita facilidade colocar-nos no lugar das personagens e "sentir" os seus medos e desesperos. Comecei logo de inicio a traçar o destino para cada um dos personagens mas quase nenhum foi o que imaginei e no final percebi que na vida real seria mesmo como na história, sem grandes floreados, apenas a Vida complicada como ela é.
Um livro que nos faz pensar na importância de como vivemos o nosso dia a dia, a forma como encaramos os nossos problemas e o egoismo com que por vezes vemos os problemas dos outros.

(Mais um a agradecer ao site Segredo dos Livros. Bem haja Fbeatriz)

"O Penúltimo Sonho", de Angela Becerra

"1939. Joan Dolgut e Soledad Urdaneta vivem intensamente o seu primeiro amor, num contexto em que tudo os separa: as classes sociais, os costumes da época, o dinheiro e, até, um oceano. A sua existência converte-se num sonho por cumprir, que termina no final das suas vidas, com um desenlace surpreendente.Muitos anos depois, os filhos de Joan e Soledad encontram-se pela primeira vez. Os dois são chamados para identificar os corpos dos respectivos pais, que se suicidaram vestidos de noivos. Confrontados com a trágica despedida do casal, vão tentar descobrir o grande segredo que dominou a vida dos pais e os conduziu à morte. Entre os filhos vai desenvolver-se uma relação que abarca sentimentos inesperados, paixões por resolver, contradições, equívocos, espiritualidade e erotismo, narrados com uma intensidade única. O Penúltimo Sonho é um hino aos sentimentos que prevalecem sobre os interesses, as regras e os costumes de cada época."


A Minha opinião:
Este é sem duvida um daqueles livros que vou recordar sempre.
Depois de muito ouvir excelentes criticas a este livro, confesso que estava um pouco na expectativa do que iria encontrar. Comecei a lê-lo um pouco a
medo pois nem a sinopse eu quis ler para ter uma ideia do que dali iría sair.
Pois bem, nas primeiras páginas fiquei apaixonada pela história de Joan e Soledad. Já li muitos livros com histórias de Amor que sobreviveram às guerras, ao tempo e ás mais diversas adversidades, mas nunca uma como esta, que passa de geração em geração.
A descoberta do Amor de um filho pelo seu pai e ao mesmo tempo desse mesmo filho pelo seu filho ainda adolescente a quem ele vinha há já algum tempo a "camuflar" de modo a não ver nele a imagem do seu pai.
Uma filha que descobre na mãe que já admirava, alguém muito mais especial...
Achei maravilhosa a forma de escrever da autora e como ela nos ia surpreendendo ao longo de toda a história com pormenores "deliciosos" como o da tecla Fá, a tecla do Amor...
Enfim! Podia ficar aqui a descrever todas a situações e sentimentos que os livro me passou, mas é impossivel.
Resta-me dizer que ADOREI!

"... Nunca te dês por vencido. Tu é que tens de lutar pelo teu sonho e para lutar por qualquer coisa, primeiro deves acreditar nessa coisa com muita força, com muito amor."

Quanto aos Sonhos, também eu me vou focar apenas no meu Penúltimo Sonho pois não quero haja nunca um último.
Em breve irei largar um papagaio ao vento...

(Muito, mas muito bem haja Semidio por me proporcionares momentos maravilhosos com a leitura deste livro e a ti Fern2005 por me teres aconselhado a ler já! Beijos para as duas.)

"Perdidos e Achados", de Jayne Ann Krentz

Conhecida por escrever histórias ardilosas, cuja leitura é um “puro prazer”, Jayne Ann Krentz cativou milhões de fãs com uma combinação perfeita de suspense vertiginoso, personagens espirituosas e romance crepitante.
"Cady Briggs mostra ser muito útil a Mack Easton, porque a sua competência no campo das artes e antiguidades irá ajudar a sua judiciosa e discreta empresa a encontrar e a recuperar valiosas peças de arte desaparecidas para clientes abastados. Contudo, como Cady tão bem sabe, ser útil a um cliente é uma coisa e deixar-se ser usada é outra bem diferente.
Mesmo assim, Cady acha difícil resistir à atracção que Mack exerce sobre si e que pressentiu desde a primeira vez que ouviu a sua voz ao telefone. E, como trabalharem juntos os coloca numa situação explosiva, Cady questiona-se até que ponto deve arriscar pela emoção de estar com aquele homem. Quando uma tragédia familiar coloca Cady na situação inesperada e indesejada de directora da Chatelaine, a prestigiada galeria da sua família, os papéis invertem-se. Agora, é Cady que precisa de ajuda profissional. Para investigar os estranhos desenvolvimentos na Chatelaine, ela vira-se para um homem em quem não tem a certeza se pode confiar, e, em vez de localizarem e recuperarem obras de arte desaparecidas, deparam-se (quais detectives) a perseguir um assassino..."

A Minha Opinião:
Já estava a precisar de um livro assim :)
Desta autora li apenas 2 livros "Amor Comprado" e o "Rio Sabe", os quais a autora assina como Amanda Quick.
Como Jayne Ann Krentz ela afasta-se um pouco do tipo de escrita que utiliza nos seus livros mais "românticos", enquanto como Amanda Quick acaba por dar mais prioridade aos detalhes do Romance em si, aqui ela explora o policial, o mistério... mas continua a apimentar um pouco o romance.
Mas falando da história em si, ela gira em torno de uma colecção de Caixas antigas pertencentes à dona de uma galeria de arte que morre misteriosamente alguns dias antes de uma grande fusão da sua Galeria com outra bastante pristigiada. A partir daqui é uma roda viva de investigações, não só para descobrir o assassino mas também para perceber o porquê da Fusão das 2 galerias.
Temos claro o para romântico que é bastante divertido ;)
Gostei!

(Obrigada Fbeatriz!)

"A Solidão dos Números Primos", de Paolo Giordano

"Alice é obrigada pelo pai a frequentar um curso de esqui para ser forte e competitiva, mas um acidente terrível deixará marcas no seu corpo para sempre. Mattia é um menino muito inteligente cuja irmã gémea é deficiente. Quando são convidados para uma festa de anos, ele deixa-a sozinha num banco de jardim e nunca mais torna a vê-la. Estes dois episódios irreversíveis marcarão a vida de ambos para sempre. Quando estes "números primos" se encontram são como gémeos, que partilham uma dor muda que mais ninguém pode compreender. Ganhou o prémio Stregga e a menção honrosa do Campiello, os dois prémios literários mais importantes de Itália, e está a ser traduzido em mais de 20 países."

A Minha Opinião:
Este é sem duvida um livro excelente!
Dois adolescentes cruzam-se a muito estranhamente dividem os seus segredos de uma forma bem estranha sem nunca se envolverem demasiado nos problemas um do outro, completam-se mas ao mesmo tempo afastam-se em todos os momentos cruciais.
Aborda temas bastante actuais, os quais às vezes se finge não ver por acharmos que só acontecem aos outros, o que faz com que às vezes haja demasiados "primos gémeos" por aí...
É um livro que nos faz pensar na forma como encaramos a vida e as pessoas que nos rodeiam no nosso dia a dia.
Este é daqueles livros que toda a gente deveria ler.

"Os numeros primos apenas são divisiveis por um e pelo próprio número. Esão num lugar que lhes é própriomna infinita serie dos numeros naturais, esmagados como todos entre dois, mas um passo mais além relativamente aos outros. São numeros desconfiados e solitários e por isso Mattia achava-os maravilhosos.
(...)
Numa cadeira do primeiro ano Mattia estudara que entre os numeros primos há alguns que ainda são mais especiais. Os matemáticos chamam-lhe primos gémeos: são pares de numeros primos que estão próximos um do outro, pois entre eles existe sempre um numero par que os impede de se tocarem realmente.
(...)
Descobrem-se numeros primos cada vez mais isolados, perdidos naquele espaço silencioso e cadenciado feito apenas de cifras e nota-se o pressentimento angustiante de que os pares escontrados até aí forma um facto acidental, cujo verdadeiro destino é ficarem sozinhos. Depois quando se está prestes a desistir, quando já não se tem vontade de contar mais, eis que se descobrem, abraçados mais dois gémeos. Entre os matemáticos é convicção comum que por mais que se avance na contagem, existirão sempre mais dois, ainda que ninguém saiba dizer onde, até serem descobertos.
Mattia achava que ele e Alice eram assim, dois primos gémeos, sós e perdidos, próximos mas não o suficiente para se tocarem realmente."

(Querida A. muito obrigado por esta preciosidade!)

"As Filhas do Graal", de Elizabeth Chadwick

"França, século XIII: Bridget cresceu aprendendo a controlar os dons místicos da sua antepassada Maria Madalena, cuja ininterrupta linhagem feminina manteve vivo um legado de sabedoria durante milénios. Mas agora, a todo-poderosa Igreja Católica jurou destruir Bridget por usar os seus talentos curativos e as suas habilidades naturais.O dever de Bridget de continuar a linhagem leva-a até aos braços de Raoul de Montvallant, um católico. E quando a intolerância selvagem da Igreja leva Raoul a rebelar-se, a intolerância cresce para uma ânsia de vingança que só poderá ser saciada com uma cruzada de sangue."

A Minha Opinião:
Um belissimo Romance com alguma História à mistura.
Gostei essencialmente da parte dos Cátaros de quem já tinha ouvido falar mas pouco ou nada sabia. No livro temos bem a percepção dos seus modos de vida e qual o seu objectivo em relação à Igreja Católica e vice versa.
Temos também um belo retrato de como a Igreja estava degradada naquela altura e como era cruel com aqueles que conseiderava hereges e poderiam ameaçar o seu "pacato" modo de vida.
A personagem que mais gostei foi sem duvida Claire que mesmo depois da sua grande paixão por Raoul decidiu-se pelos Cátaros e seguiu até ao fim com as suas convicções ajudando os outros.
Gostei bastante e apreciei as notas finais da Autora sobre a veracidade dos factos que ela descreveu e a Bibliografia que disponibilizou no final.

(Bem Haja Fbeatriz)