"Não sei nada sobre o Amor", de Júlia Pinheiro

"Quando desceu o riacho, mantilha na cabeça e coração aos pulos, Maria da Glória não sonhava que quele encontro fortuito com o macho da aldeia iria marcar para sempre a sua vida. Esperava sair dali com namoro anuciado e quem sabe até casamento marcado. Saiu à pressa, com a roupa ensanguentada, as entranhas viradas e a semente de Maria da Purificação na barriga.
Estava lançado o destino de das mulheres desta familia na qual as palavras prazer, carinho, paixão e amor permanecerão para sempre num mistério."

A Minha Opinião:
Confesso que o que mais me levou a ler este livro não foi a Sinopse mas sim a Autora.
Antes de ler pesquisei um pouco sobre a saída deste livro para o mercado e qual não é o meu espanto a maioria dos comentários que encontrei eram bastante negativos e feitos por pessoas que já estavam a "matar" o livro mesmo sem o lerem só por ser da Júlia Pinheiro.
Pois bem, fazem muito mal. É óbvio que não é uma grande obra literária, mas é um excelente livro sendo o primeiro dela.
Não é um romacezito todo "cor de rosa" cheio de histórias dos seus programas (como já li nas tais criticas).
É a história inicia-se nos anos 30, uma época em que as mulheres eram apenas objectos e serviçais. Maria da Glória tem de se desenvicilhar dos problemas que arranjou e consegue fazê-lo, mas vai vivendo sempre num suplicio de culpa e ódio o que a torna uma pessoa amarga e sem qualquer tipo de amor para dar, mesmo à sua filha Maria da Puficação, mas esta cresce e os tempos são outros, já há mais um pouco de amor, mas mesmo assim é um amor que é "provocado" Sociedade de um Estado Novo, num país em que tudo é proíbido. Depois vem Maria Clara, filha de Maria da Purificação, uma criança que vê a sua familia desintegrar-se de dia para dia, sem perceber muito bem porquê numa altura em que tudo passa a ser permitido com o 25 de Abril, as mulheres passam a vestir calças e a poder fazer tudo aquilo que lhes apetece. Maria Clara com a ajuda da Avó e da Mãe consegue seguir com a sua vida apesar de todos os fantasmas que a assombram. Então nasce Benedita, filha de Maria Clara...

"Iniciou a vida sexual aos 14 anos com um colega de colégio, um "beto" como ela. Foi o primeiro de vários relacionamentos sem paixão ou sentimento. Na esfera social de Benedita, estes relacionamentos cirúrgicos não podiam chamar-se "curtes" ou "amizades coloridas". Eram amigos que exploravam a sensualidade sem deixarem que os corpos encontrassem o caminho para a transcendencia. E antes de serem adultos já eram indiciduos marcados pelo desencanto. Não era um bom augúrio." (pag. 335)

Durante o relato das vida destas mães e filhas a autora vai-nos relatando como era o nosso País nessas épocas e quais a repercussões que isso tinha na vida das sua personagens. A autora retrata muitissimo bem a nossa sociedade e faz referências a pequenas coisas que já nem nos lembramos delas por termos hoje em dia tanta escolha, como as Pastilhas Gorila e os Livros da Anita que eram as delicias das crianças (as minhas eram mesmo!!!!). Para além disto tudo mais uma coisa muito importante, a história desenrola-se practicamente toda em Castelo Branco, a minha cidade ;)
Bom, nem me vou alongar mais, gostei bastante e se sair mais algum livro da Julia Pinheiro irei lê-lo de certeza!

12 comentários:

O meu olhar disse...

Eu ando a ler Coisas da Vida de Laurinda Alves! Estou a adorar:) beijo

Paula disse...

Se visse o livro na livraria pela primeira vez, talvez tivesse a opinião de todos os outros por ser de Júlia Pinheiro :(

Agora sei que devemos dar o devido crédito :)

Abraços

Ana disse...

Eu não gosto da Júlia Pinheiro enquanto apresentadora, mas como "escritora" de artigos na revista Máxima, é excelente.

A tua opinião fez-me ter vontade de ler o livro!

Ferncarvalho disse...

Dp do que já falámos sobre este livro, não sei que te dizer. Excepto talvez que estou à espera que mo envies! :P

(foste tu que disseste que não sabias escrever críticas? hummm olha que não parece!)

Ana disse...

Olá Amiga!

Passa pelo meu blog...tens lá um Pequeno Miminho!

Beijocas para ti e para a Nice!

Miar à chuva disse...

Agora surpreendeste-me e deixaste-me curiosa!
Tens de me emprestar ;-)

Betita disse...

Meninas sabem bem que os meus livritos são vossos assim que quiserem ;)
Vou já fazer uma listinha!
Bjt

Projecto /Lê/ disse...

Têm algo no nosso blog ;) Boas leituras!

Nefertiri disse...

Ola! Realmente ja tinha pensado em comprar este livro...agora ja vi que realmente tem uma história interessante.

Se passar pelo meu blog tem la uma pequena prenda.

Continuação de boas leituras :)

ana disse...

Também já li e fiquei agradavelmente surpreendida. Embora preferisse que fossem mencionadas as pastilhas "Piratas"

flicka disse...

Gostava de ler este livro. Será que me podias emprestar? :D
Um grande beijinho!

Anónimo disse...

Ola a todos.Não há muito tempo que gosto da Júlia Pinheiro como apresentadora e ler um livro dela talvez fosse uma coisa não imaginasse. MAs um dia comecei a ler e desde inico que me apaixonei pela história, nao que seja uma história arrebatadora, mas pelo assunto que trata. Penso que seja uma optima forma de dar a conhecer a vida das mulheres dos anos 30 até agora. Li-o num instante e confesso que se ela escrever outro que o vou tentar ler.
Boas leituras beijo