"Flores na Tempestade" de Laura Kinsale

"Christian era um dos homens mais brilhantes e sedutores da alta sociedade inglesa. Um libertino que despertava paixões avassaladoras até que um trágico ataque o condena a um mundo de silêncio, sombras e loucura. Christian perde a capacidade de falar e a família coloca -o num sanatório , crente de que perdeu a razão. Maddy, de nascimento modesto e com um a alma simples e generosa , fica presa a este homem que lhe desperta sensações novas . Um homem que oscila entre a raiva e a frustração de estar preso ao silêncio, que a repele, mas que necessita da sua atenção e do seu carinho para o tirar daquele tormento solitário. A amizade que nasce entre os dois transforma-se num amor arrebatador. Fonte de necessidade , de desejo … e de uma paixão redentora. Laura Kinsale, autora best-seller norte-americana, traz-nos um dos romances de amor mais belos e originais de sempre. Uma história apaixonante e inesquecível que se converteu numa das novelas românticas mais elogiadas pela crítica e pelo público em todo o mundo."

A Minha Opinião:
Confesso que não estava à espera de me "embrenhar" tanto com este livro.
Uma história de Amizade muito bonita, que com tantos problemas para enfrentar acaba por se tornar num Amor capaz de vencer tudo e todos, desde as crenças e educação de uma vida, aos mais inesperados inimigos.
Dentro da literatura do género este é sem duvida o melhor livro que li até hoje, a história está muito bem estruturada e é-nos apresentada de forma calma, mas sempre com o cuidado de nos aguçar a curiosidade com algumas pistas deixadas subtilmente.
Deixo aqui uma pequena curiosidade acerca da personagem de Missmaddy ;)

Quaker é o nome dado a um membro de um grupo religioso de tradição protestante, chamado Sociedade Religiosa dos Amigos (Religious Society of Friends). Criada em 1652, pelo inglês George Fox, a Sociedade dos Amigos reagiu contra os abusos da Igreja Anglicana, colocando-se sob a inspiração directa do Espirito Santo. Os membros desta sociedade, ridicularizados com o nome de quakers, ou tremedores, rejeitam qualquer organização clerical, para viver no recolhimento, na pureza moral e na prática activa do pacifismo, da solidariedade e da filantropia.

(Mais uma vez tenho de agradecer à Querida Fbeatriz por mais este tesouro! Bem haja Amiga!)

"O Grande Conspirador", de David Liss

"Condeno-o à morte por enforcamento, Sr. Weaver, pelo hediondo assassinato que levou a cabo.” Ao ouvir a sentença do juiz, Benjamim Weaver, judeu português, antigo pugilista, actual caçador de criminosos e futuro mestre do disfarce, começa um dos dias mais infelizes da sua vida. Atirado para a terrível prisão londrina de Newgate, Weaver terá de empregar a sua considerável energia e inteligência para fugir para as ruas fedorentas da capital. Na sua mente, apenas um desejo: quem se deu a tanto trabalho para o incriminar por um assassinato que não cometeu? E as coisas só vão piorar, como revela David Liss em O Grande Conspirador, uma novela exuberante na Londres do século XVIII, repleta de acção, aventura, humor e uma teia de conspiração que envolve os mais poderosos do império britânico."

A Minha Opinião:
Muitissimo bom!!!
Neste livro o já conhecido Benjamim Weaver vê-se obrigado a ser ainda mais ardiloso nas suas investigações, já que desta vez é ele próprio quem está condenado à forca por assassinio.
Depois de escapar da prisão e esconder-se atrás de uma nova identidade vais passar por muito até perceber que era apenas um joguete no meio de conjuntura politica e religiosa da sociedade inglesa.
Não fiquei nem um pouco agradada foi com o desfecho dado a Miriam...
Pena é, que apesar do clima de romance, que o nosso heroi ficasse sozinho!
Quem sabe se não haverá mais um livro de memórias de Benjamim Weaver, Judeu Português, Antigo Pugilista, caçador de criminosos e mestre do disfarce ;)
De realçar mais uma vez a excelente pesquisa histórica do autor.


(Mais uma vez, bem haja kittycatss pelo empréstimo e desculpa o tempo que estiveram retidos comigo!)

"O Mercador Português", David Liss

"Depois do sucesso de A Conspiração de Papel, David Liss volta a recuar no tempo para um momento chave na História: a Amesterdão de 1659, capital do comércio europeu, onde a perfídia impera e até os melhores amigos têm segredos. Na primeira bolsa de valores do mundo, as fortunas são ganhas e perdidas num instante, e Miguel Lourenço, um judeu que fugiu de Lisboa devido à Inquisição, sabe-o melhor que ninguém. Outrora um dos comerciantes mais invejados da cidade, Miguel perdeu tudo numa súbita desvalorização do açúcar. Agora, empobrecido, humilhado e a viver da caridade de um irmão mesquinho, precisa urgentemente de encontrar uma forma de recuperar a fortuna e a reputação. E essa oportunidade aparece quando é contactado por uma misteriosa mulher que lhe propõe uma jogada ousada: o monopólio de um produto desconhecido e fascinante chamado café. Para ser bem sucedido, Miguel terá que arriscar tudo aquilo em que acredita e testar os seus próprios limites. Mas cedo se vai ver envolvido pelo caos dos mercados, pela ganância dos concorrentes, pelas intrigas de um inimigo poderoso... e pelos braços quentes e sedutores da esposa do seu irmão."

A Minha Opinião:
Gostei muito da história de Miguel Lourenço e da forma como se conseguiu desenvicilhar dos seus problemas num país para ele tão estranho.
Nota-se a grande pesquisa histórica do Autor sobre os mercados do café no Sec. XV, altura em que a Holanda dominava grande parte dos negocias da Europa.
Não apreciei muito a parte final, o desenlace de Miguel com a cunhada e a partida do seu irmão, mas mais que tudo a maneira como terminou a história para a Geertruid.
Uma coisa é certa, se tratassem agora dos problemas da Bolsa e dos negócios como faziam naquela época, de certeza que não haveria por aí tantas acusações de fraudes!

(Bigada Kittycatss!)

"A Conspiração do Papel", de David Liss

"Benjamin Weaver, judeu português, detective, espadachim e um famoso ex-boxeur, move-se com maestria e confiança na Londres do século XVIII. Trabalhando para clientes aristocratas na cobrança de dívidas difíceis, vive afastado da família devido à má relação com o seu pai, um abastado investidor da bolsa. Mas quando este é brutalmente assassinado, não pode ficar de braços cruzados.Descendo ao submundo do crime londrino, Weaver ziguezagueia entre bordéis, cervejarias, prisões e casas de jogo, para descobrir uma conspiração que o ameaça não só a si, mas também à própria Inglaterra.Um romance histórico fascinante, A Conspiração de Papel arrebata os leitores, página atrás de página, com um enredo envolvente e personagens apaixonantes de um período único da história."

A Minha Opinião:

Já li este livro há bastante tempo, mas como li agora mais dois que são do mesmo autor e um deles com o mesmo personagem resolvi colocar também aqui!
Gostei bastante! O Autor retrata muito bem a vida e costumes do Sec: XVIII em Inglaterra, achei engraçado os detalhes que ele refere dos vestuário e adereços, mesmo os utilizados pelos homens, como aquelas perucas ridiculas que se usavam na altura.
Ao avançarmos na leitura vamos ficando cada vez mais apegados a Benjamim Weaver mesmo que por vezes questionemos os seus métodos de investigação e de solucionar os problemas.
A trama da história está muito bem urdida e nada faz adivinhar o final e muito menos o entreleçamento de todos os crimes num só!
Um Romance histórico muito bem concebido, e nada enfadonho, pois tem partes bem divertidas...


(Bem Haja Kittycatss!!!)

"O Rio Sabe", de Amanda Quick

"O primeiro beijo de Louisa Bryce e Anthony Stalbridge nada teve de romântico: foi uma manobra de diversão para não serem apanhados onde não deveriam estar. E o que os une não tem nada a ver com paixão ou romance. Ambos pretendem desmascarar Hastings, um eminente aristocrata. Louise acredita que Hastings tem ligações a um conhecido bordel, enquanto Anthony desconfia que o nobre esteve envolvido na morte da sua noiva, que morreu afogada no Tamisa. Mas fazer Hastings pagar pelos seus crimes poderá ser mais difícil e perigoso do que ambos pensavam..."



A Minha Opinião:
Este foi o 2º livro que li desta autora!
O primeiro que li foi "Amor Comprado", este "O Rio Sabe" é muitissimo melhor!
As aventuras por que passam Louisa e Anthony e os seus diálogos são muito divertidas!
Claro que tem aquelas passagens mais picantes, as quais eu acho que por vezes não precisavam de ser tão explicitas, mas enfim...
Uma excelente autora para quando se que descansar um pouco de leituras mais "pesadas"!

(Muito obrigado Amiga Fbeatriz por mais este empréstimo!)

"O Homem Duplicado", de José Saramago

"Tertuliano Máximo Afonso, professor de História no ensino secundário, «vive só e aborrece-se», «esteve casado e não se lembra do que o levou ao matrimónio, divorciou-se e agora não quer nem lembrar-se dos motivos por que se separou», à cadeira de História «vê-a ele desde há muito tempo como uma fadiga sem sentido e um começo sem fim».Uma noite, em casa, ao rever um filme na televisão, «levantou-se da cadeira, ajoelhou-se diante do televisor, a cara tão perto do ecrã quanto lhe permitia a visão, Sou eu, disse, e outra vez sentiu que se lhe eriçavam os pêlos do corpo»...Depois desta inesperada descoberta, de um homem exactamente igual a si, Tertuliano Máximo Afonso, o que vive só e se aborrece, parte à descoberta desse outro homem. A empolgante história dessa busca, as surpreendentes circunstâncias do encontro, o seu dramático desfecho, constituem o corpo deste romance de José Saramago."



A Minha Opinião:

Há já muito tempo que queria ler alguma das obras de Saramago e enfim lá consegui!
Não foi fácil, iniciei a leitura várias vezes até conseguir entrar na história, mas depois de me habituar ao discurso a leitura correu melhor.
Fez-me um pouco de confusão a pontuação e a forma de escrever do autor!
A história em si posso dizer que gostei, a procura de Tertuliano Máximo Afonso pela sua personalidade foi uma aventura e tanto, apesar de às vezes se tornar um pouco aborrecido...
Vou tentar ler alguma das suas outras obras para tirar teimas, pois já me constou que este não é o melhor livro de Saramago para nos iniciarmos na sua obra!
Voltanto à sua escrito, foi bem dificil ver aquelas páginas cheias de uma ponta à outra, com o testo completamente justificado, com as márgens todas certinhas e sem sequer um travessãozito para animar a página!

(Bem haja Vibarao por este Bookring!)

"A Casa na Praia", de Anita Shreve

"Quando casou, Sydney estava perdidamente apaixonada pelo marido Andrew, um piloto de aviões carismático e aventureiro. Mas o medo de o perder num acidente de aviação quase a leva à loucura, deixando-lhe apenas uma alternativa: o divórcio. Quando voltou a casar, Sydney acreditou que nada tinha a temer, afinal Daniel era um jovem e pacato médico. Mas o destino prega-lhe uma partida, e o seu segundo marido morre subitamente no hospital onde trabalha. Desencantada e sem rumo, a jovem viúva aceita um emprego de Verão na magnífica costa do New Hampshire. O que ela não podia imaginar era que o amor ainda lhe reservava grandes surpresas."

A Minha Opinião:
Gostei!
Uma história sem grandes relevos, mas a forma de a autora a escrever fez com que valesse a pena.
Ela faz descrições das mais pequenas coisas de um forma melancólica que nos envolve de uma forma reconfortante, fazendo com que não tenhamos qualquer vontade de abandonar o livro, pois é como se a sua escrita nos transmitisse paz... é estranho, mas foi assim que senti.
Achei engraçada a forma como ela encaixou as familas das suas outras histórias tentando mostrar que "A Casa na Praia" é um lugar onde muita coisa aconteceu já, mas também onde sempre se pode encontrar a esperança para recomeçar de novo.
Com tinha ficado um pouco desiludida com o "Tudo o que Ele sempre quis" e o "Casamento em Dezembro" este livro veio trazer-me um pouco mais de confiança na autora.
(Obrigado Aviciada pela oportunidade!)

"Tim", de Colleen McCullough

"Mary Horton, solteirona na casa dos quarenta, rica, solitária, simples, acredita que não precisa de amor nem de amizade, satisfazendo-se com a sua confortável casa, o seu jardim, o seu Bentley e a casa de praia que comprou com o fruto do seu trabalho e dos investimentos realizados, com os livros que lê e a música que ouve sozinha.Tim Melville, vinte e cinco anos, operário, é filho de Ron e Esme Melville que o receberam como uma dádiva para o seu tardio casamento. Tim tem a beleza e a graça de um deus grego, mas é um simples de espírito, uma criança grande.No entanto, Ron e Esme, modestos operários australianos, pessoas sensatas e sem ambições, gostam dele pelo que é e preparam-no para trabalhar segundo as suas possibilidades. Tim é um trabalhador insignificante de uma empresa de construção civil, infatigável e esforçado. Dias de trabalho pesado e fins-de-semana passados com o pai num pub e noites tranquilas junto da família, a ver televisão, representavam para Tim toda a sua perspectiva de vida. Quando Mary encontra Tim e o contrata como jardineiro durante os fins-de-semana, uma ligação muito forte vai nascer entre eles. Mary sente por Tim o mesmo tipo de amor que sentiria pelo filho que nunca teve; Tim, em contrapartida ensina-lhe a ver o mundo de uma maneira mais simples e optimista, trazendo à sua vida solitária o calor e o afecto que lhe faltavam.
Tim, o primeiro romance de Colleen McCullough, tem já de Pássaros Feridos e Uma Obsessão Indecente que se lhe seguiram, a sensibilidade e a segurança das personagens e a mestria inconfundível de uma história bem contada."

A Minha Opinião:
Uma história belissima sobre o Amor e as diferenças humanas, que nos mostra que em conjunto tudo se completa.
Tim e Mary viviam cada um a sua vida de forma estranha, mas ao juntarem as suas diferenças completaram a sua existencia podendo assim viver de uma forma o mais "normal" possivél.
Desta história retiramos que devemos aprender a viver com as diferenças dos outros e assim podermos ver as nossas próprias "diferenças", porque todos nós as temos.
(Muito obrigado Ligiafteixeira por mais este maravilhoso livro!)

"O Segredo da Casa de Riverton", de Kate Morton

"Como sobrevivem os que presenciam a tragédia?
Verão de 1924
Na noite de um glamoroso evento social, um jovem poeta perde a vida junto ao lago de uma grande casa de campo inglesa. Depois desse trágico acontecimento, as suas únicas testemunhas, as irmãs Hannah e Emmeline Hartford, jamais se voltariam a falar.Inverno de 1999Grace Bradley, de noventa e oito anos de idade, antiga empregada da casa de Riverton, recebe a visita de uma jovem realizadora que pretende fazer um filme sobre a morte trágica do poeta.Memórias antigas e fantasmas adormecidos, há muito remetidos para o esquecimento, começam a ser reavivados. Um segredo chocante ameaça ser revelado, algo que o tempo parece ter apagado mas que Grace tem bem presente.Passado numa Inglaterra destroçada pela primeira guerra e rendida aos loucos anos 20, O Segredo da Casa de Riverton é um romance misterioso e uma emocionante história de amor."

A Minha Opinião:
Adorei!!!
Uma história contada na 1ª pessoa, com todas as alegrias e tristezas de uma vida longa e por vezes bem dolorida, salientando as escolhas nem sempre boas tendo em conta o sentido de dever para com a familia e os segredos dos outros.
Por vezes existem Jogos, que não se devem jogar até o fim ;)
(Bem Haja Fern2005 ;) espero que gostes também!)