"Sem tempo para dizer Adeus", de Jacquelyn Mitchard

Sinopse: "Vinte e dois anos passaram desde o fatídico dia em que o pequeno Ben Cappadora foi raptado era apenas uma criança. Quando, nove anos depois, o seu paradeiro foi descoberto e pôde regressar para junto dos pais e irmãos, a família iniciou um longo processo de recuperação até ter alcançado alguma paz. Mas agora Vincent, o irmão mais velho de Ben, está prestes a testar a solidez dos laços familiares com o seu mais recente trabalho como realizador, o documentário Sem Tempo para Dizer Adeus. Ao apresentar as histórias de cinco famílias cujos filhos desaparecidos nunca foram encontrados, Vincent abala profundamente a família Cappadora quando esta menos esperava…"


A Minha Opinião:
Neste novo romance Jacquelyn Mitchar regressa com personagens já minhas conhecidas: a familia Cappadora.
Continuando a história do seu romance "Profundo como o Mar", neste "Sem tempo para dizer Adeus" a autora consegue de novo colocar todo o tipo de sentimentos à flor da pele.
Depois de anos de ausencia, Ben que fora raptado encontra-se de novo no seio da sua verdadeira familia.
Vinte anos após o reencontro muitas são as mudanças e novos membros entraram na famosa familia Cappadora mas por detrás de uma aparencia de felicidade esconde-se muito mais.
Quando uma criança é rapatada à sua familia o sofrimento dos pais deve ser aterradora, tudo se centra neles, em como se sentem, como conseguirão suportar tamanha dor... mas e o resto??? Os irmãos como ficam? São crianças... mas também sentem...
Foi o que aconteceu com Vincent, irmão de Ben, que teve uma adolescencia bastante conturbada tendo de conviver com a grave crise que a familia atravessava e depois com o regresso daquele irmão anos depois... que era um perfeito desconhecido.
Vincent decide então fazer um documentário sobre crianças desaparecidas levando assim a sua familia a recordar de forma intensa os dias de sofrimento do passado...
Um documéntário digno de um Oscar da Academia acaba por desencadear um conjunto de acontecimentos "arrepiantes".
Um filho que nunca viu os seus pais como verdadeiros pais, irmãos que têem medo de recordar uma infância que existiu mas que foi tão diferente para cada um deles, um novo bebé na familia e outras familias que sofriam o horror de ter alguém que havia desaparecido "Sem tempo para dizer Adeus".
Um livro belissimo que nos mostra apenas um pouco do que deve ser o horror de perder alguém nestes moldes e também de alguém descobrir que foi "arrancado" da familia e viveu sempre numa mentira.
Um livro para ler e reler, sem duvida este foi um dos melhores livros de 2010.

Sem comentários: