"Aqueles dias em Lisboa", de Eilleen Ramsay

Três mulheres abandonadas reúnem-se numa noite de Natal: Alex, a jovem herdeira solitária que tem consumido os seus anos à espera que o homem que ama abandone a mulher; Lucy, que espera ansiosa um telefonema do namorado, mais preocupado com a imagem e o estatuto social do que com a relação de ambos; Suzanne, mãe de Lucy, que acaba de receber o mais surpreendente dos telefonemas daquele que, desde há várias décadas e até essa mesma manhã, tinha sido o seu marido...
A história da busca de uma identidade e da busca do amor que começa com este encontro - quando Suzanne entrega à filha uma caixa com recordações da avó, não imagina a busca determinada que ela irá empreender para descobrir uma verdade que ela própria nunca quis conhecer. Quem foi esse homem misterioso que desapareceu em Lisboa em 1942, no turbilhão que assolava então a Europa, deixando grávida a mãe de Suzanne? Que história conta, afinal, esse quadro enigmático, "O Tesouro de Henriqueta", com que a jovem professora de pintura ocupava os longínquas tardes da sua gravidez em Cascais e que deixou como única herança à filha? Ao ler o diário da avó, Lucy, ajudada por Alex, empreende uma investigação que as levará da Escócia ao Havai, daí a Paris e finalmente a Lisboa, onde todos os enigmas e todos os corações poderão encontrar respostas. Encontrarão também o amor?

A Minha Opinião:
Confesso que escolhi este livro apenas pelo titulo :P
Um livro que tem como cenário a nossa bela Lisboa parecia-me uma excelente leitura.
E não me enganei, pelo menos à excelente leitura, quanto ao cenário... de Lisboa teve pouco.
Mas logo nas primeiras páginas fiquei embevecida e orgulhosa do nosso país:

"Nunca tive tanto calor e nunca vi cores assim. O sol brilha no céu, que é de um azul intenso que nunca vi. Olhar para um jardim com relvados verdes bem cuidados e flores de todas as cores imagináveis pode cegar uma pessoa. Pense no dourado de um narciso de abril, multiplique-o pelo vermelho mais profundode qualquer rosa, intensifiquea cor que obtivere pode começara imaginar Portugal. O perfume das flores está por toda a parte, transportado por uma ligeira brisa. O  sol a incidir nos meus ombros ao mesmo tempo que faz resplandecer a água azul do mar é quase um experiência mistica." (pag.59)

Mas voltando ao romance: as três mulheres envolvem-se na busca das origens de Suzanne com base em velhos papeis e recortes de jornal que a sua mãe lhe deixou e também um quadro... Nessa aventura acabam por encontrar não só o que procuravam mas também uma razão para cada uma seguir em frente na vida.
Um romance escrito de forma calma, mas com uma boa dose de acção e mistério, o ideal para estes dias de chuva ;)

2 comentários:

Tinkerbell disse...

tenho curiosidade em ler livros de estrangeiros que escrevem sobre cidades de portugal ou do país :D e este já o tinha visto e parece mt bom!

Ferncarvalho disse...

Hmmm... este é daqueles que me vêm visitar?
:P

Bjs