"Os Anagramas de Varsóvia", de Richard Zimler

"Um romance policial arrepiante e soberbamente escrito passado no gueto judaico de Varsóvia. Narrado por um homem que por todas as razões devia estar morto e que pode estar a mentir sobre a sua identidade…

No Outono de 1940, os nazis encerraram quatrocentos mil judeus numa pequena área da capital da Polónia, criando uma ilha urbana cortada do mundo exterior. Erik Cohen, um velho psiquiatra, é forçado a mudar-se para um minúsculo apartamento com a sobrinha e o seu adorado sobrinho-neto de nove anos, Adam.


Num dia de frio cortante, Adam desaparece. Na manhã seguinte, o seu corpo é descoberto na vedação de arame farpado que rodeia o gueto. Uma das pernas do rapaz foi cortada e um pequeno pedaço de cordel deixado na sua boca. Por que razão terá o cadáver sido profanado? Erik luta contra a sua raiva avassaladora e o seu desespero jurando descobrir o assassino do sobrinho para vingar a sua morte. Um amigo de infância, Izzy, cuja coragem e sentido de humor impedem Erik de perder a confiança, junta-se-lhe nessa busca perigosa e desesperada. Em breve outro cadáver aparece – desta vez o de uma rapariga, a quem foi cortada uma das mãos. As provas começam a apontar para um traidor judeu que atrai crianças para a morte. Neste thriller histórico profundamente comovente e sombrio, Erik e Izzy levam o leitor até aos recantos mais proibidos de Varsóvia e aos mais heróicos recantos do coração humano. "

Sobre o autor:
Richard Zimler nasceu em Nova Iorque em 1956. É licenciado em Religião Comparada pela Duke University e mestre em jornalismo pela Stanford University. Vive no Porto desde 1990, onde é professor de jornalismo. Traduziu para Inglês alguns poetas portugueses contemporâneos, entre os quais Al Berto e Pedro Tamen. Em 2002 naturalizou-se português.


Escreveu cinco romances desde 1996, quatro dos quais foram publicados em Portugal: O Último Cabalista de Lisboa - best-seller em onze países, incluindo os Estados Unidos da América, Inglaterra, Itália, Brasil e Portugal - Trevas de Luz, Meia-Noite ou O Princípio do Mundo (Gótica, 2003) e Goa ou o Guardião da Aurora (Gótica 2005), o terceiro livro da série sobre diferentes ramos e gerações da família Zarco de judeus portugueses.

A Minha Opinião:
Vergonhosamente digo que este é apenas o 2º livro que leio deste excelente autor.
Fico triste quando penso nas grandes obras que andam por aí e o meu tempo é tão pouco para as ler.
Este foi um livro que me absorveu todos os poucos momentos livres que tenho tido, pois com a sua história dramática mas com uma maneira de escrever sublime o autor faz com que os leitores queiram sempre saber mais e mais da missão que Erik tomou como sua. A vida dos Judeus e Nazis naquela época já está descrita em inumeros livros e retratada em muitos filmes, mas Zimler aborda o temos mais uma vez de uma forma magestosa, introduzindo no meio de um tema tão forte uma vertente policial que faz com que a leiturra não se torne tão "pesada".
Esta é uma leitura obrigatória para todos, pois não só a nivél histórico, mas mais que tudo a nivel Humano é uma verdadeira lição de vida.

"Tento festejar o facto de acordar todas as manhãs"

Não deixem de ler ;)

1 comentário:

Sophie disse...

Não stresses, mais vergonhosa sou eu, pois só li este livro deste magnífico autor.
AMEI!!!! É triste sim, mas é de facto uma leitura obrigatória e, no fim, ficamos muito enriquecidos com esta leitura.