"A Promessa" de Brunonia Barry

"Towner Whitney, uma mulher enigmática e fascinante, descende de uma família de mulheres de Salem que têm a capacidade de ler o futuro nos padrões da renda típica da cidade.
Após uma vida de traumas e tragédias que a leva a exilar-se na Califórnia, Towner regressa à sua cidade natal, em busca da tia-avó, Eva, desaparecida misteriosamente.
Towner vê-se, assim, obrigada a enfrentar os medos do seu passado e a verdade das tragédias na sua família."

A Minha Opinião:
Depois de ler algumas criticas menos boas a este livro comecei a sua leitura um pouco a medo...
Mas como é bom ler um livro que supera totalmente todas as nossas expectativas!!!
É uma história estranha sim, bastante estranha, com um enredo muito bem emaranhado e com tantas pontas soltas quanto as rendas de que história nos fala, não esquecendo também as famosas bruxas de Salem e os seus poderes, para muitos assustadores.
Mas vamos um pouco à história :)
A protagonista, Towner, regressa à sua terra natal, de onde saiu depois da morte da sua irmã e de ter tido uma serie de problemas com a justiça e com a sua familia. Mas será que foi mesmo assim???
No seu regresso vai encontrar quase tudo como deixou... será que as coisas são realmente como ela sempre as viu... ou quis ver?!?!?!
Este livro fala também do mistério dos gémeos, da sua relação muitas vezes inexplicável.
Fui um pouco confusa, não fui? Mas leiam o livro e percebem logo tudo ;)
Muito bom, vale bem a pena ler.

(Bem haja ao Site Segredo dos Livros)

"A Cabana", de Wm. Paul Young

"E se Deus marcasse um encontro consigo?
As férias de Mackenzie Allen Philip com a família na floresta do estado de Oregon tornaram-se num pesadelo. Missy, a filha mais nova, foi raptada e, de acordo com as provas encontradas numa cabana abandonada, brutalmente assassinada.
Quatro anos mais tarde, Mack, mergulhado numa depressão da qual nunca recuperou, recebe um bilhete, aparentemente escrito por Deus, convidando-o a voltar à malograda cabana.
Ainda que confuso, Mack decide regressar à montanha e reviver todo aquele pesadelo.
O que ele vai encontrar naquela cabana mudará o seu mundo para sempre."

O autor:
Wm. Paul Young nasceu no Canadá e foi criado pelos pais missionários numa tribo nas montanhas do que era a Nova Guiné.
Anos depois, as mortes do irmão mais novo e de uma jovem sobrinha deixá-lo-iam completamente destroçado.
Há um ano e meio atrás, Wm. Paul Young tinha três empregos.
Desde essa altura até agora, a vida do autor deu uma enorme reviravolta.
Actualmente, Paul Young vive com a família, no estado de Oregon, nos EUA.

A Minha Opinião:
Acabei de o ler há poucos minutos e as lágrimas ainda me rolam cara abaixo.
Digo-vos com toda a sinceridade do mundo que este é O melhor livro que li até hoje. Um romace que nos toca de uma forma tão profunda e de uma maneira tão forte que no final é como que descobrimos uma vida que não conheciamos.
Confesso que quando iniciei a sua leitura fiquei um pouco de "pé atrás" pensando que seria mais um daqueles livros sobre a Fé Cristã e a devoção incondicional a Deus, mas de repente vi-me completamente envolvida na história de Mack, na sua Fé abalada pelos acontecimentos trágicos e pela grandiosidade das palavras do autor na maravilhosa personificação das Divindades com que ele nos presenteia.
Não quero desvendar muito da história, apenas vos tenho a dizer que com este livro retiramos inumeras lições de vida, fazendo com que a cada página paremos para reflectir na nossa vida, na nossa sociedade e nos nossos relacionamentos do dia a dia... se é que há relacionamentos mesmo.
Mergulhem na leitura deste livro de coração aberto, sem ligarem a Religiões nem Crenças pois não é disso que este romance trata... depois irão ver.
Comecei logo de inicio a retirar pequenas passagens que me marcavam especialmente, agora que terminei a leitura dou-me conta que não posso transcrever tudo para aqui ou via-me obrigada a transcrever quase todo o livro, por isso deixo-vos aquela que me fez começar a ver a história com olhos de ver ;)

"...- A maioria dos pássaros foi criada para voar. Para eles, ficar no solo é uma limitação da sua capacidade de voar, e não o contrário.
Calou-se para que Mack reflectisse sobre a situação.
- Tu, por outro lado, foste criado para ser amado. Assim, para ti, viver como se não fosses amado é uma limitação e não o contrário.
(...)
- Viver sem ser amado é como cortar as asas de um pássaro e retirar-lhe a capacidade de voar. Não é algo que queira para ti.
(...)
- Mack, a dor tem a capacidade de cortar as nossas asas, impedindo-nos de voar - disse ela e esperou um momento, permitindo que as suas palavras assentassem. - E, se essa situação persistir por muito tempo sem resolução, quase podes esquecer que foste criado para voar." (Pags. 97/98)

A partir daqui surgem palavras que nos fazem chorar, sorrir ou simplesmente levantar os olhos do livro e meditar um pouco sobre nós mesmos.
Podia dizer muito mais sobre os sentimentos que este livro despertou em mim, mas em vez disso prefiro aconselhar-vos a que o leiam, pois é com toda a certeza uma dos melhores livros que terão oportunidade de ler.

Quero agradecer mais uma vez à Porto Editora a oportunidade que me deu de ser uma das priveligiadas a ler esta excelente história, que vou reler vezes sem conta.

"Os Cães de Babel", de Carolyn Parkhurst

"No dia em que Lexy Ransome perde a vida ao cair da macieira do jardim de sua casa, Paul Iverson, o marido, compreende que a partir daquele momento toda a sua existência será pautada pela devastação da perda da mulher que amava. Atormentado pela dúvida quanto ao que realmente aconteceu, Paul embrenha-se numa investigação obsessiva. A única testemunha do que se passou é Lorelei, a cadela, e Paul entrega-se à tarefa de ensinar Lorelei a comunicar numa tentativa desesperada de chegar à verdade dos factos."


A Minha Opinião:
Paul vê a sua vida virada do avesso com a morte repentina e inexplicável da sua esposa.
Pairando sobre ele a duvida se terá sido acidente ou suicidio ele decide resolver esse enigma com a única e quase impossivel testemunha do ocorrido: a sua cadela Lorelei. De que maneira??? Tentando fazê-la falar!!!
Ao longo de toda a narrativa feita na primeira pessoa Paul, um excelente linguísta de profissão, vai-nos contando a sua relação, nem sempre fácil, com a sua esposa, mostrando assim que por mais que achemos que conhecemos bem as pessoas que nos rodeiam no dia a dia talvez não seja bem assim. A história avança a um ritmo alucinante sempre mantendo o leitor muito interessado, não só pelos progressos (ou não) de Paul ao tentar que Lorelei fale com ele, mas também devido á pessoa estranha e problemática que era a sua esposa. A cada página aparece algo de novo que enreda um pouco mais a história tornando assim a sua leitura viciante.
Quanto aos Cães de Babel, com eles Paul consegue algumas das suas respostas e percebe que nem tudo o que parece é, ou mesmo aquilo que pretendemos que seja ;)

"Recordo a minha mulher de branco. (...) Procuro recordar a mulher que ela era e não a mulher que eu construí a partir de peças soltas para me reconfortar no meu luto. E descobri, à medida que os dias passam e o bálsamo do meu perdão aplaca a superficie gretada e ressequida do meu coração, descobri que recordá-la como ela é um presente que posso oferecer a ambos."

Uma nova autora que nos capta a atenção logo no seu Romance de estreia com uma escrita brilhante e bastante fácil explorando os sentimentos dos seus personagens de uma forma magnifíca.
Um livro que sem duvida nos enche as medidas!
Não deixem de ler!

"A Cabana", de WM. Paul Young


Fui uma das afortunadas ;)
A Porto Editora escolheu-me para ser uma das primeiras a ler estes excelente livro!
Bem haja pela destinção.
Já o comecei e estou a adorar ;) Em breve voltarei com mais detalhes.
Para já deixo-vos com a informação que o livro já está à venda (pré-encomenda) através do sítio da Porto Editora e da livraria virtual Wook e tem suscitado um enorme interesse por parte do público em geral.
Podemos dizer que é, neste momento, o livro mais procurado na Wook!

A Dama de Caxemira, de Francisco González Ledesma

"Velho, cínico e assombrado pela memória das mulheres que não soube amar, preso entre o fascínio pelos marginais que deveria perseguir e o desprezo dos seus superiores, que sonham vê-lo reformado, o inspector Méndez vagueia por uma Barcelona cuja modernidade o acossa, saudoso da cidade gloriosa de outrora.
As décadas que passou ao serviço da polícia não deixam que Méndez confunda verdade com justiça, e este velho cavalo de guerra da lei não se deixa iludir facilmente.Quando se depara com um bizarro crime que envolve um cadáver e uma cadeira de rodas, Méndez mergulha na aventura mais vertiginosa e sentimental da sua vida – uma história de solidões, frustrações, nostalgias e inesperadas ternuras. Uma mulher presa a um passado longínquo e perdido, um homem casado apaixonado por um antigo amante, um amor inesperadamente platónico e um conjunto de vidas tragicamente interligadas levam Méndez a descobrir que se pode morrer por sonhar demais e que o homicídio pode ser o derradeiro acto de ternura.A Dama de Caxemira convida o leitor a deambular pelo labirinto de ruas estreitas e horizontes vastos que é a cidade antiga de Barcelona, e não deixará de o marcar pela sua originalidade e irreverência."

A Minha Opinião:
Este foi um livro que me custou um pouco a ler... mas creio que isso também foi devido à altura que escolhi para o ler.
Apesar disso o balanço é bastante positivo, pois o enredo está muiro bem conseguido :)
Tudo começa com o assassinato de alguém e a confusão com uma cadeira de rodas, a partir daqui surgem os mais variados personagens, que se interligam uns nos outros ao longo da história, mas aconselho a redobrada atenção aos seus nomes para não baralharem, comigo aconteceu, o que me fez regressar atrás na história (mas pode ter sido do meu cansaço!!!).
Um bom romance policial em que o investigador quebra todas as regras e ao mesmo tempo tenta resolver os seus problemas com os outros e consigo próprio.
As confusões de amores e da cadeira de rodas fazem com que o interesse pela leitura se matenha sempre no auge!
Um policial que aconselho a quem gosta do género ;)


(Bem haja Fbeatriz e ao Site Segredo dos Livros)

"Antes que seja tarde" de Jacquelyn Mitchard

"Todos os domingos, Julieanne ajuda a orientar as vidas de pessoas que não conhece, através da sua coluna de aconselhamento no jornal local. Mas, um dia, é Julieanne que necessita desesperadamente de uma orientação, quando vê o seu mundo desabar não obstante todo o amor, energia e criatividade que sempre investiu nele.
Com o talento, a elegância e a profundidade a que desde sempre nos habituou, Jacqueline Mitchard coloca-nos diante de personagens extraordinariamente humanas, com vidas comuns, agitadas pelo mar revolto das emoções, da esperança, do amor, do desespero e de uma imensa vontade de vencer.

Uma obra de grande sensibilidade e optimismo que é um belíssimo hino à vida."

A Minha Opinião:
Mais uma vez esta autora não desilude e faz-me de novo afirmar que é uma das minhas autoras de eleição!!!
Neste "Antes que seja Tarde", uma mulher dinâmica e verdadeiro "pilar" da sua familia vê-se confrontada com o diagnóstico chocante de uma doença crónica que vai alterar toda a sua rotina e a da sua familia. A par com esta situação é abandonada pelo marido ficando sozinha a lidar com 2 filhos adolescentes e uma ainda bebé.
Será que Julieanne consegue superar todos os obstáculos que se lhe irão defrontar???
E a sua familia, como irá conseguir superar todos os problemas???
Cathy a sua fiel e melhor amiga ajuda-a como pode, através do Diário de Gabe ficamos a perceber como reagem, cada uma à sua maneira, perante tão más noticias.
A autora mostra-nos de forma clara como todos encaram a situação dificil e tentam arranjar soluções, criando alguns paralelismos da história com as cartas a que Julieanne (Gabe e Cathy) responde para a sua coluna.
Quando Gabe e Carolaine resolvem procurar o pai e trazê-lo de volta a casa de modo a voltarem a ser uma familia e assim darem solução aos grandes problemas em que se encontram, muitas surpresas irão acontecer.
Em suma temos crises de meia idade, crianças que se vêem obrigadas a crescer demasiado depressa para fazerem face aos problemas dos adultos, uma mulher que vê a sua vida practicamente acabada por causa de uma doença grave, mas acima de tudo temos também muita Amizade e Amor que fazem muitas vezes que no nosso próprio dia a dia tomemos grandes e dificeis decisões "Antes que seja Tarde".
Há muito mais para dizer sobre este livro, mas aconselho a que o leiam e "sintam" com a Julieanne, a sua familia e os leitores da sua coluna "Excesso de carga", todos os sentimentos descritos pela autora.
A autora abroda sempre temas muito fortes e actuais e cada vez mais me convenço que se houvesse mais leitores por aí o mundo seria bem melhor ;)
Não deixem de ler "Antes que seja Tarde" e todos os outros livros da autora, que infelizmente são poucos ainda editados por cá!

(Mais uma vez tenho de agradecer à Fbeatriz e ao site Segredo dos Livros por esta maravilhosa oportunidade!)

"O Amor em Anos nos Chumbo" de E. S. Tagino

"Estamos nos finais de 1837, em plena Guerra Civil entre liberais e miguelistas. O brigadeiro José Joaquim de Sousa Reis, mais conhecido por Remexido, Comandante do Exército do Sul por nomeação do proscrito D. Miguel, atravessou todo o Alentejo e veio atacar Grândola. Este ataque é o ponto de partida de O Amor nos Anos de Chumbo. Através de uma tórrida e triangular história de paixões, E. S. Tagino transporta-nos a um tempo em que, sobre as cinzas do antigo regime e enquanto o romantismo florescia no coração dos poetas, os frades egressos, com a extinção das ordens religiosas e a confiscação dos conventos, vagueavam pelos campos; os barões, disfarçados de liberais, abocanhavam o cadáver do país, e o vírus do caciquismo se instalava no corpo apodrecido da Nação. Com o Estado na bancarrota, sob a pressão inglesa que ameaçava tomar-nos a Índia, com as diversas facções do Setembrismo a digla-diarem-se publicamente e uma revolta camponesa generalizada, O Amor nos Anos de Chumbo retrata uma realidade decadente onde, apesar de tudo, o amor sem barreiras, alguma consciência social e o lento despertar do Povo são os sinais, ténues mas esperançosos, de uma possível regeneração."

A Minha Opinião:
Mais um autor que não conhecia ;)
Uma história com muitos militares, numa época em que Portugal atravessava sérios problemas.
Adorei as descrições pitorescas dos maravilhosos Alentejanos e das suas tradições como a do matar do porco que ainda hoje se leva muito à letra!A história de amor que à primeira vista nos parece impossivel, acaba por acontecer contra todas a expectativas do leitor.
A linguagem é bastante acessível o que faz com que a leitura seja feita de forma bastante rápida... pelo menos para mim ;) Adorei também a capa, que nos leva às grandes e belas planicies do nosso Alentejo.
Vou com toda a certeza querer ler mais livros do autor!

(Bem haja Fbeatriz e ao Site Segredo dos Livros)