"Amor à Primeira Vista", de Catherine Anderson

"Poucos autores escrevem histórias tão comoventes e de inesgotável ternura como Catherine Anderson. As suas personagens partilham com o leitor a esperança de encontrar o amor perfeito de uma vida inteira. Todas as leitoras que acompanharam Rafe Kendrik e Maggie Stanley em Uma Luz na Escuridão podem agora revê-los numa nova e apaixonante aventura protagonizada por Ryan, irmão de Rafe a quem este terá de ajudar a ultrapassar um momento difícil. Um acidente sofrido há anos num rodeo deixou Bethany Coulter presa a uma cadeira de rodas. Desde então conheceu tanto as traições como os desgostos de amor, e por isso jurou nunca mais entregar o seu coração a um homem. Mas qualquer coisa em Ryan Kendrick a fez de súbito acreditar que talvez todos esses obstáculos pudessem ser ultrapassados. Ambos partilham a paixão pelos cavalos e têm um imenso sentido de humor. Mas a vida não é absolutamente perfeita. "

A Minha Opinião:
Este foi o meu Romance de estreia desta autora e concerteza que quero ler mais livros dela.
Adorei!
Uma bonita história de Amor, mas sobretudo uma lição de vida.

"Nunca digas que não consegues!"

"O Instrumento das Trevas", de Licoln Child & Douglas Preston

"Aloysius Pendergast arrasta a sua jovem protegida Constance Greene para uma viagem, na esperança de a fazer esquecer as horríveis experiências que viveu. Num remoto mosteiro do Tibete procuram reencontrar a paz de espírito e Pendergast aproveita o tempo para se dedicar ao treino das artes marciais e a diversos exercícios de meditação. Em troca, o monge que os acolheu acaba por lhes confiar o encargo de recuperar uma preciosa relíquia, que o mosteiro tem à sua guarda desde tempos imemoriais, desaparecida misteriosamente. Pendergast aceita a missão, preocupado com a possibilidade de que este objecto raro e perigoso caia nas mãos erradas e leve à destruição da humanidade. Uma pista acaba por conduzi-los à viagem inaugural de um luxuoso paquete, o Britannia, e a uma travessia do Atlântico marcada pelo terror.O Instrumento das Trevas retoma, com incomparável mestria, o tema clássico do confronto do bem e do mal, do Oriente e do Ocidente, do acaso e do destino."

A Minha Opinião:
Mais uma espectacular aventura de Aloyius Pendergast!
Adorei! Foi um belo cruzeiro :)))
Agora que a Constance saiu da sua "toca" tudo se tornou ainda melhor.
Confesso que depois do desfecho do ultimo livro,quando iniciei este fiquei um pouco apreensiva, pois no inicio mostra-nos que as decisões de Constance após o confronto com Diógenes e tudo o resto (que não posso contar) iriam dar um pouco de melancolia a estas aventuras, mas ainda bem que não foi assim ;)
Espero agora novos desenvolvimentos da história e só espero que regresse o Tenente D'Acosta... e claro a Viola do nosso amigo Pendergast!
Nestes livros é de salientar a maravilhosa pesquisa feita pelos autores sobre as civilizaçõs de que cada livro trata que neste caso foi no Tibete.

(Bem haja Amiga Semidio por mais esta preciosidade)

"O Livro dos Mortos", de Douglas Prestom & Licoln Child

"O Livro dos Mortos conclui a emocionante trilogia que teve o seu início em Enxofre, e prosseguiu com a publicação de A Dança da Morte.
O combate entre Aloysius Pendergast e o seu próprio irmão, Diógenes, atinge aqui o seu paroxismo.
O Livro dos Mortos é talvez um dos mais emotivos romances de acção alguma vez publicados: um inocente que expia, numa prisão de alta segurança, o crime que não cometeu; o seu irmão, brilhante, psicótico, que se prepara para cometer um crime absolutamente horrível; uma jovem com um passado pouco comum, à beira de um esgotamento nervoso; e um antigo túmulo egípcio, com a sua enigmática maldição, que está prestes a ser exibido durante uma gala reservada à elite nova-iorquina…"

A Minha Opinião:
Adorei!
Esta é uma triologia de nos tirar o folego, só tenho pena de não ter lido os 3 seguidinhos, pois acabamos sempre por nos esquecer de alguns detalhes que são por vezes muito importantes.
Neste ultimo livros da Triologia de Diógenes somos transportados para as lendas Egipcias e claro as suas inerentes Maldições dos Faraós. Diógenes continua a fazer das suas mas desta vez começa a deixar pontas soltas...
Achei espectacular o "acordar" de Constance na história e a sua contribuição para que o final ficasse em aberto!
Terei de ler mais destes dois autores ;)

(Bem Haja Querida Semidio!)

"O Leitor", de Bernhard Schlink

"Michael Berg, um adolescente nos anos 60, é iniciado no amor por Hanna Schmitz, uma mulher madura, bela, sensual e autoritária. Ele tem 15 anos, ela 36. Os seus encontros decorrem como um ritual: primeiro banham-se, depois ele lê, ela escuta, e finalmente fazem amor. Este período de felicidade incerta tem um fim abrupto quando Hanna desaparece de repente da vida de Michael. Michael só a encontrará muitos anos mais tarde, envolvida num processo de acusação a ex-guardas dos campos de concentração nazis. Inicia-se então uma reflexão metódica e dolorosa sobre a legitimidade de uma geração, a braços com a vergonha, julgar a geração anterior, responsável por vários crimes.
Perturbadora meditação sobre os destinos da Alemanha, O Leitor, é desde O Perfume, o romance alemão mais aplaudido nacional e internacionalmente. Já traduzido em 39 línguas, a obra está a ser adaptada ao cinema. Para além disso, este romance foi galardoado em 1997 com os prémios Grinzane Cavour, Hans Fallada e Laure Bataillon. Em 1999 venceu o Prémio de Literatura do Die Welt."

A Minha Opinião:
Acabei mesmo agora de o ler e ainda estou com as lágrimas nos olhos!
Este é sem duvida alguma um dos melhores livros que já li e quero tê-lo na minha estante para poder reler.
Uma história apaixonante sobre um adolescente que descobre o amor com uma mulher muito mais velha e enigmática que o vai influenciar em todo o seu percurso de vida.
Relata episódios dos campos de concentração e de como eram assassinados os judeus, que como o próprio autor diz, essas são imagens que se tornaram banais por tantos relatos que já se fizeram sobre elas, desde livos a filmes e até documentários. Mas este livro também nos mostra uma face do que se passava com aqueles que mandavam os judeus para a morte e nem sempre era uma tarefa agradável, como na maior parte das vezes tentam mostrar.
Não me vou alongar muito com detalhes para não estragar as surpresas a quem o vai ler (ou mesmo a quem vai ver o filme), só aconselho vivamente a que o leiam pois mostra-nos a importância das pequenas grandes coisas da vida...
Lemos com a mesma facilidade com que respiramos, não é? E nem nos damos conta disso :)
Uma história belissima!

"Sem motivo aparente", de Particia Cornwell

"Cinco anos depois de ter saído de Richmond, Kay Scarpetta está de volta. O novo responsável forense, incapaz de deslindar o caso da morte de uma adolescente, sabe que sem a sua ajuda não chegará a nenhuma conclusão, mas Scarpetta sente que não existe qualquer empatia entre ambos nem tão-pouco espírito de equipa. Entretanto, no Colorado e na Flórida, tanto Benton Wesley, o homem que ela ama e que tão cruelmente a decepcionou, como Lucy, a sua sobrinha, que tem agora a sua própria agência de investigação, vivem acontecimentos dramáticos. Só muito mais tarde é que Kay se apercebe de que indícios que só ela poderia detectar apontam para a obscura presença de um serial killer que a persegue na tentativa de perpetrar uma vingança cuja descoberta é quase mais do que ela é capaz de suportar..."

A Minha Opinião:
Esta é uma autora que queria ler já há bastante tempo, infelizmente escolhi mal o livro :( já que pertence a uma serie e este é já um volume bem adiantado.
Apesar disso gostei e vou procurar os outros.
A história fala-nos de uma médica-legista que resolve todos os crimes que se lhe deparam, mas aqui ela tem de enfrentar um assassino que está pronto para tudo para alcançar os seus objectivos.
A autora vai relatando diversas histórias deixando algumas pontas soltas que no final se encaixam perfeitamente. Achei espectacular a forma como descreve as autópsias, simplesmente arrepiante!
Vou concerteza procurar os outros!
Alguém sabe os titulos anteriores?

"Pena Capital", de Bernard Cornwell

"A sentença foi a de morte pela forca. Mas, por motivos de ordem política, o Ministério do Interior achou necessário confirmar a sua culpabilidade. Assim, encarregou da investigação do caso um tal Rider Sandman, que, porém, não dispunha de quaisquer habilitações especiais para o efeito. Tratava-se de um jovem militar que se destacara na batalha de Waterloo e granjeara também fama pelo seu talento como jogador de críquete, mas cuja vida andava então pelas ruas da amargura. A proposta de um emprego temporário, bem remunerado e pouco exigente, surgiu-lhe como caída dos céus. Porém, quando Rider Sandman inicia a sua pesquisa, deambulando entre os fétidos cárceres de Newgate e os perfumados salões da aristocracia, apercebe-se de que muitos dados não se coadunam com o veredicto, e também de que há demasiada gente empenhada em travar-lhe o passo. Sandman é um perito nas artes da guerra, e, para além disso, conta com o apoio de poderosos, embora algo extravagantes, aliados. Mas enfrenta uma cabala dirigida pelos mais ricos e impiedosos senhores da Regência inglesa. Sandman apenas dispõe de sete dias para salvar um homem inocente do patíbulo mais voraz da Europa. O carrasco aguarda a sua hora. É uma corrida contra o fatal nó escorregadio."

A Minha Opinião:
Este é sem duvida um autor que vou juntar aos favoritos dos Romances Históricos!
Adorei a recriação do ambiente de Londres no Sec. XVII, desde a descrição das ruas, da população e até das expressões populares utilizadas, este é mesmo um verdadeiro Romance Histórico.
A história em si não é muito relevante, já que não passa de uma busca da verdade em que os resultados são bastante previsiveis, mas mesmo assim o autor envolve-nos de tal forma com a sua escrita que é quase impossivél largar a leitura :)

(Bem Haja wiccaa pela oportunidade de ler mais um maravilhoso Romance Histórico, mas mais que isso, de conhecer mais um excelente autor!!!)